Cronista
Celso Filipe Jornalista

Nasceu em 1964 e é actualmente director-adjunto do Jornal de Negócios. Frequentou o 4.º ano do curso de Comunicação Social da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Começou a actividade como jornalista em 1986 na revista “África Hoje”, tendo depois transitado para a “África Confidencial”, uma publicação de circulação reservada a assinantes. Como jornalista passou depois pelos semanários “Tempo”, “Semanário” e “Expresso”. Entre 1995 e 2005 esteve no “Diário Económico” onde desempenhou as funções de editor e chefe de redacção. Entre 1998 e 1999 colaborou na Rádio Renascença com um comentário semanal sobre assuntos económicos. Em 2006 entrou no Jornal de Negócios como editor da secção de empresas.

Celso Filipe O futebol de vão de escada 05.12.2017 Celso Filipe
O futebol português é uma novela mexicana dobrada em brasileiro. De mau gosto, esquizofrénico e com um guião lamentavelmente pobre. Na realidade, é preciso gostar muito de futebol (e dos clubes) para continuar a ir aos estádios e apoiar as respectivas equipas. Isso só acontece porque a paixão, como se verifica amiúde, é cega.
Celso Filipe Os dois lados de Centeno 03.12.2017 Celso Filipe
A possibilidade de Mário Centeno liderar o Eurogrupo é, no plano teórico, uma boa notícia para Portugal. Tal como o foi, à data, o facto de Durão Barroso ter sido presidente da Comissão Europeia ou a circunstância actual de António Guterres ser secretário-geral das Nações Unidas.
Celso Filipe Choque eléctrico 27.11.2017 Celso Filipe
O Orçamento do Estado para 2018, como era previsível, foi aprovado. Até aqui nada de novo, excepto o choque de última hora entre o PS e o Bloco de Esquerda, a propósito da aplicação de uma taxa sobre os produtores de energias renováveis.
Celso Filipe Overdose de provincianismo 20.11.2017 Celso Filipe 356
Na manhã de ontem, António Costa escreveu no Twitter: "O Porto oferece à EMA (Agência Europeia do Medicamento) a melhor solução para a sua relocalização. A União Europeia aproveita esta oportunidade? Espero que sim." A resposta chegou à tarde: não.
Celso Filipe Sol a mais faz mal 19.11.2017 Celso Filipe 49
A estratégia de António Costa tem passado por resolver um problema de cada vez, mas ensina a prudência que sol a mais faz mal. Ícaro que o diga
Celso Filipe Angola e o teste do algodão 15.11.2017 Celso Filipe 51
O princípio tem uma racionalidade à prova de bala. João Lourenço está a afastar a família dos Santos do círculo do poder e dos negócios do Estado para dar um sinal claro de que pretende romper com o passado e implementar uma governação transparente. Ninguém pode contestar esta estratégia, nem mesmo Isabel dos Santos, que ontem foi demitida da liderança da Sonangol.
Celso Filipe Não é política, é economia 14.11.2017 Celso Filipe
Donald Trump vai enfrentar um teste sério. Não se trata da guerra de palavras da Coreia do Norte, da intriga sobre a intervenção da Rússia nas presidenciais norte-americanas, das pressões sobre a China ou sequer dos recuos da Casa Branca em relação às alterações climáticas.
Celso Filipe A geringonça não anda sozinha 12.11.2017 Celso Filipe 95
O barómetro de Novembro da Aximage, realizado para o_Negócios e o Correio da Manhã é um banho de água fria para António Costa, amenizado apenas pela forma como compara com os dois candidatos a líder do PSD, Rui Rio e Santana Lopes.
Celso Filipe A virtude do pessimismo 08.11.2017 Celso Filipe 30
O robô Sophia foi uma das estrelas do Web Summit. Num diálogo com outro robô, apropriadamente baptizado de Einstein, Sophia sentenciou: "Conheço muitas pessoas que têm medo de que a inteligência artificial destrua a humanidade e lhes tire o trabalho. Nós, robôs, não temos vontade de destruir nada, mas vamos tirar-vos os empregos."
Celso Filipe A ressaca de Angola 05.11.2017 Celso Filipe 98
A "notícia falsa" sobre a exoneração de Isabel dos Santos da Sonangol é a ponta do icebergue de uma realidade profunda. Angola está a viver (mal) a ressaca de 38 anos de José Eduardo dos Santos. Muitos querem urgência onde devia haver paciência, enquanto outros batalham para manter um "status quo" que terminou em Setembro com a tomada de posse do novo Presidente da República, João Lourenço.