Celso  Filipe
Celso Filipe 17 de Novembro de 2016 às 00:01

Costa fez a sua sorte

A novela Caixa Geral de Depósitos é a única situação que ensombra o epílogo de uma semana triunfal de António Costa.
O primeiro-ministro pode capitalizar politicamente três ocorrências: o crescimento do PIB, o facto de Bruxelas ter aceitado, com as habituais ênfases burocráticas, o Orçamento do Estado para 2017, assim como a decisão da Comissão Europeia de colocar de lado a suspensão de fundos comunitários a Portugal por causa do Procedimento de Défices Excessivos.

É claro que este concentrado de boas notícias enche o peito de António Costa e do seu Governo e dá-lhe uma legitimidade acrescida para negociar na especialidade o Orçamento para 2017, na mesma proporção em que esvazia o manancial argumentativo da oposição.

É verdade, como disse Passos Coelho, que o PIB cresceu, não em função do aumento da procura interna, como previa o programa do Governo, mas por via das exportações e do turismo. Mas cresceu e isso reduz-lhe o espaço de crítica ao Governo.

Além disso, como sublinhou André Veríssimo no editorial de ontem, quando entrou em funções, o Governo prometia um crescimento de 2,2%, que depois reduziu para 1,8% e finalmente baixou para 1,2%. Ou seja, se o país chegar ao final de 2016 com um crescimento de 1,2%, este Executivo mais não faz do que cumprir os mínimos.

A questão é que, em política, o que se passou há seis meses já é história e para a opinião pública (ou potenciais eleitores) trata-se de uma eternidade. Tal como no futebol, não interessa a derrota da terceira jornada, se a equipa chegar ao fim como campeã. A memória só exalta os êxitos e tem propensão a expurgar os fracassos.

Os esperançosos indicadores económicos, a anuência de Bruxelas em relação ao Orçamento e a estabilidade dada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, confluem na mesma direcção, a de que a longevidade deste Governo será superior à prevista por aqueles que vaticinavam um cataclismo à beira de acontecer. Os dados macroeconómicos agora conhecidos e a posição de Bruxelas são, por outro lado, trunfos que António Costa pode esgrimir para mudar a percepção de investidores (nacionais e estrangeiros), os quais ainda convivem mal com a geringonça. É este o passo que lhe falta para uma governação com "confiança e sem sobressaltos", o mesmo que prometeu aos portugueses para 2017. A sorte de António Costa não é fruto do acaso. Tem sido construída pelo próprio e permitiu-lhe chegar até aqui. 
A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 17.11.2016

Semana triunfal para Costa!? só pode ser uma brincar com os tugas. Este senhor Celso Filipe deve ser um dos jornalistas no pay roll do PS. Como é possível os media em geral falarem de facto fantástico a economia crescer 1.2% em 2016! Parece que é algo de extraordinário nunca antes visto. O programa de Costa/Centeno apontava para um crescimento da economia em 2016 de 2.4%. Depois com o programa d e governo da geringonça o crescimento era de 1,8% agora já vai em 1,2% e os habituais idiotas úteis acham isto TRIUNFAL. E mais prova-se que tb o que está a impulsionar o cresimento são as exportações (turismo) e não o consumo interno que tem estando abaixo das previsões do governo. Afinal parece que PPC é que tem razão. Mas que leia os jornais e veja os telejornais parece que o governo conseguiu algo de TRIUNFAL. De fact somos um país de tótós.

comentários mais recentes
Anónimo 17.11.2016

Semana triunfal para Costa!? só pode ser uma brincar com os tugas. Este senhor Celso Filipe deve ser um dos jornalistas no pay roll do PS. Como é possível os media em geral falarem de facto fantástico a economia crescer 1.2% em 2016! Parece que é algo de extraordinário nunca antes visto. O programa de Costa/Centeno apontava para um crescimento da economia em 2016 de 2.4%. Depois com o programa d e governo da geringonça o crescimento era de 1,8% agora já vai em 1,2% e os habituais idiotas úteis acham isto TRIUNFAL. E mais prova-se que tb o que está a impulsionar o cresimento são as exportações (turismo) e não o consumo interno que tem estando abaixo das previsões do governo. Afinal parece que PPC é que tem razão. Mas que leia os jornais e veja os telejornais parece que o governo conseguiu algo de TRIUNFAL. De fact somos um país de tótós.

fpublico C/mais de 42 anos de TRABALHO/DESCONTOS ! 17.11.2016

SOU CLIENTE DA CAIXA HA MAIS DE 42 ANOS E PAGO MUITOS JUROS PRA CAIX..XINHA
A CGD É AUTENTICO REFORMATORIO PARA DAR PENSÕES E INDEMNIZAÇÕES "NEGOCIADAS" A EX-GOVERNANTES
ATE UM PSEUDO DR ARMANDO VARA, UM SIMPLES CAIXA, FU..DEU A CAIXA. OS CONTRIBUINTES ACEITAM A M..ER.DA TODA.SALAZAR FAZ FALTA

Anónimo 17.11.2016

Juros da dívida a 10 anos 3,720. Quando é que isto aconteceu pela última vez Dr. Celso. Deve ser das boas notícias, digo eu que não percebo nada.

Pedro 17.11.2016

O problema é que a sua sorte é o nosso azar. Ui, crescemos 1%! Que bom...

ver mais comentários