Raquel Godinho
Raquel Godinho 08 de agosto de 2018 às 20:45

Entretanto, a China recebeu o maior IPO em dois anos 

A China tem estado no centro das atenções dos investidores devido às tensões comerciais com os Estados Unidos. E tem sido o mercado mais penalizado, tendo mesmo entrado já em "mercado urso" (com uma queda de 20% face ao anterior máximo atingido).

Mas, apesar destas nuvens mais cinzentas no horizonte das acções chinesas, foi mesmo este o mercado que recebeu o maior IPO (oferta pública inicial), a nível mundial, nos últimos dois anos. A China Tower Corp, que realizou uma operação de 6,9 mil milhões de dólares, estreou-se esta quarta-feira e as acções fecharam inalteradas face aos 1,26 dólares de Hong Kong a que foram vendidas. Uma cotação que avalia a empresa em cerca de 28 mil milhões de dólares. Assim, ao contrário do que aconteceu com a estreia da Xiaomi, no mês passado, acabou por não ser desapontante, frisa a Bloomberg. Com esta estreia, acalmaram alguns receios dos investidores em relação a futuras operações. "A estreia da China Tower é muito boa considerando a queda do mercado", afirmou Elsie Sheng à Bloomberg. A analista da Orient Securities acrescentou que "isso vai dar confiança às empresas". Com esta operação, os planos das empresas chinesas ganharam um novo fôlego. Pelo menos até que surjam más notícias.

 

Jornalista

pub