Raquel Godinho
Raquel Godinho 11 de julho de 2018 às 19:00

Mais um trimestre, mais contas da banca

Arranca já esta sexta-feira a época de apresentação de resultados do primeiro semestre. Como sempre, é do outro lado do Atlântico que são conhecidos os primeiros números.

E será o sector financeiro a dar o "pontapé de saída": JPMorgan, Citigroup e Wells Fargo divulgam as suas contas no final da semana. E os analistas ouvidos pelo MarketWatch antecipam a continuação dos primeiros três meses do ano. As estimativas apontam para umas "robustas" receitas de "trading", num período em que foram realizadas mais ofertas públicas iniciais (IPO) no espaço de três anos. Já a actividade de fusões e aquisições aumentou em 82% para um valor recorde de um bilião de dólares, de acordo com a Reuters. Mas estes analistas temem que estes bons resultados não serão suficientes para animar as acções do sector que, desde Fevereiro, registam um desempenho aquém do mercado. O índice americano do sector perde perto de 3%, em 2018, enquanto o S&P500 soma mais de 4%. Os analistas antecipam que a aproximação entre as "yields" das obrigações de curto e de longo prazo, que normalmente indicia problemas na economia, e a guerra comercial vão continuar a penalizar o rumo das acções. A menos que as contas tragam surpresas muito positivas.

 

Jornalista

pub