Raquel Godinho
Raquel Godinho 14 de fevereiro de 2018 às 06:30

Todos juntos contra as moedas virtuais

Reguladores europeus sublinharam que as moedas digitais "apresentam um elevado risco e não oferecem qualquer grau de protecção aos consumidores".

Os últimos dias têm sido marcados por um sem-fim de alertas em relação às moedas digitais, nomeadamente a bitcoin. Mas, na última segunda-feira, os reguladores europeus decidiram assumir uma posição conjunta: todos contra as criptomoedas.

Num comunicado conjunto, a Autoridade Bancária Europeia (EBA), a Autoridade Europeia dos Valores Mobiliários e dos Mercados (ESMA) e a Autoridade Europeia dos Seguros e das Pensões Complementares de Reforma (EIOPA) alertaram os consumidores sobre os "riscos das moedas virtuais" como a bitcoin, a ripple e a ether.

Estes reguladores europeus sublinharam que as moedas digitais "apresentam um elevado risco e não oferecem qualquer grau de protecção aos consumidores". São quatro os pontos que, segundo os reguladores, demonstram os riscos das criptomoedas: não são garantidas por um banco central ou uma autoridade nacional, não são moeda com curso legal, não estão cobertas por nenhum activo tangível e não são reguladas a nível europeu.

Depois de vários meses nas bocas do mundo, os reguladores escolheram o actual momento de desvalorização das moedas digitais para fazer este alerta sincronizado. Resta saber se será suficiente.

 

Jornalista

pub