Trading Acções da Linde deslizam mais de 9% com “remédios” nos EUA

Acções da Linde deslizam mais de 9% com “remédios” nos EUA

Os reguladores querem que a Linde e a Praxair vendam mais activos nos EUA para que a fusão entre as duas empresas se concretize, num negócio que criará a maior produtora de gazes industriais do mundo. As acções estão a ressentir-se.
Acções da Linde deslizam mais de 9% com “remédios” nos EUA
Reuters
Sara Antunes 06 de agosto de 2018 às 09:20

As acções da alemã Linde estão a cair 8,7% para 191,90 euros, tendo chegado a deslizar mais de 9%, naquela que é a maior queda diária desde 25 de Agosto de 2017. As acções recuam assim para mínimos de mais de três meses.


A queda das acções está relacionada com a posição assumida pela Comissão do Comércio dos EUA, que indicou que a Linde e a Praxair terão de vender mais activos nos EUA para que a fusão dos negócios seja aprovada, revelou esta segunda-feira, 6 de Agosto, a Linde num comunicado ao mercado, citado pela Bloomberg.

 

"A Linde foi hoje informada de que a Comissão Federal do Comércio dos EUA expressou expectativas relativas a compromissos de desinvestimentos adicionais" para aprovar a operação, revela a Linde em comunicado.

 

As duas empresas, cuja união dos negócios criará a maior produtora de gazes industriais do mundo, já tinham avançado com um plano de alienação de activos. As unidades colocadas à venda geram receitas anuais no valor de 3,7 mil milhões de euros. Mas os reguladores americanos querem mais remédios.

 

Analistas citados pela Bloomberg questionam se as duas empresas conseguirão agora alienar activos que satisfaçam as exigências dos reguladores sem pôr em causa a lógica financeira da fusão.



Conheça mais sobre as soluções de  trading online da DeGiro.