Trading CaixaBI melhora recomendação e preço-alvo da Mota-Engil

CaixaBI melhora recomendação e preço-alvo da Mota-Engil

O CaixaBI reviu as suas estimativas para a Mota-Engil, elevando o preço-alvo e também a recomendação para as acções da construtora.
CaixaBI melhora recomendação e preço-alvo da Mota-Engil
Carla Pedro 26 de junho de 2018 às 07:20

Os analistas do CaixaBI elevaram em 3% (mais 10 cêntimos) o preço-alvo da Mota-Engil, de 2,90 para 3 euros, o que confere às acções da construtora um potencial de valorização de 2,38% face ao valor de fecho de ontem, nos 2,93 euros.

 

Assim, com este novo "target" para o preço das acções da construtora, o CaixaBI deixa de perspectivar um potencial de queda para passar a crer que há mais margem de subida.

 

Na nota de "research" a que o Negócios teve acesso, os analistas da unidade de análise da Caixa Geral de Depósitos também dão conta de uma melhoria da recomendação, que passou de "reduzir" para "neutral".

 

As acções da construtora liderada por Gonçalo Moura Martins acumulam uma perda de 20,1% desde o início do ano.

 

Os analistas decidiram reanalisar a avaliação das acções da Mota-Engil para o ano de 2019 com esta melhoria e também reviram em alta as estimativas para os resultados da empresa após o reporte das contas de 2017, que mostraram tendências positivas ao nível operacional, referem.

 

"Estimamos que o segmento da engenharia e construção cresça na Europa, no período de 2018 a 2020, nomeadamente em Portugal, impactado pelas grandes obras públicas: a extensão do aeroporto de Lisboa, o alargamento do metropolitano de Lisboa e do Porto, a construção de um novo terminal de contentores em Sines, entre outros", sublinham os analistas.

 

O CaixaBI diz que continua a ver que a Mota-Engil está empenhada em desendividar-se nos próximos anos. Além disso, incluiu na sua avaliação dos 150 milhões de euros da linha de seguro crédito da Cosec estabelecida entre os governos português e angolano, relacionada com a cobertura dos riscos de crédito à exportação de bens de equipamento e serviços de origem portuguesa destinados a Angola.

 

"Continuamos a ver a Mota-Engil como uma história de crescimento internacional, a par com um compromisso de desalavancagem", refere a nota de "research".

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 



Conheça mais sobre as soluções de  trading online da DeGiro.