Trading Galp sobe e renova máximos de mais de 10 anos

Galp sobe e renova máximos de mais de 10 anos

As acções da Galp continuam em alta, renovando máximos de Maio de 2008. A petrolífera já ganha mais de 16% desde o início do ano e aproxima-se cada vez mais dos 15 mil milhões de euros de capitalização bolsista.
Sara Antunes
Sara Antunes 07 de agosto de 2018 às 11:47

A Galp Energia está a subir 1,25% para 17,84 euros, tendo chegado a negociar nos 17,885 euros esta manhã, o que corresponde ao valor mais elevado desde Maio de 2008.

 

Esta subida eleva para mais de 16% o ganho desde o início do ano e a capitalização bolsista para 14,6 mil milhões de euros. A petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva mantém assim a tendência de ganhos e aproxima-se cada vez mais dos 15 mil milhões de euros, destacando-se como a cotada mais valiosa da bolsa nacional.

 

A contribuir para este desempenho estará a subida dos preços do petróleo, os resultados do primeiro semestre, algumas notas de análise, bem como a notícia de que o fundo Neuberger Berman comprou mais de 480 mil acções da Galp, de acordo com a informação que consta numa nota publicada pelo fundo e citada pela Bloomberg.

 

Acções estão 2% acima do preço-alvo médio

Na semana passada houve duas casas de investimento que reviram em alta as suas avaliações para a Galp. Ainda assim, o preço-alvo médio continua mais de 2% abaixo da actual cotação.

 

O preço-alvo médio de 20 casas de investimento – cujas análises têm menos de três meses – é de 17,42 euros, menos 2,35% do que a actual cotação. E isto já contando com a subida da Macquarie, no dia 1 de Agosto, em um euro do "target" para a Galp, avaliando agora a petrolífera em 18 euros, mais 0,9% do que a cotação.

 

A outra actualização da semana passada foi do Alphavalue, que colocou a avaliação da Galp em 15,80 euros, mais dez cêntimos que o valor anterior. Mas neste caso, o potencial é de uma queda superior a 11%.

 

Os dados destas notas constam na Bloomberg, não tendo o Negócios acesso às notas de análise em causa.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.



Conheça mais sobre as soluções de  trading online da DeGiro.