Trading Goldman revê negócio de commodities depois de pior resultado em 10 anos

Goldman revê negócio de commodities depois de pior resultado em 10 anos

Receita de commodities dos principais bancos está em minímos.
Goldman revê negócio de commodities depois de pior resultado em 10 anos
Reuters
Mariana Adam Bloomberg 03 de julho de 2017 às 12:45

A Goldman Sachs está a rever a sua estratégia de negócio das commodities, depois do pior arranque anual numa década. O falhanço de avaliação não foi exclusivo da Goldman Sachs, mas transversal a grande parte do mercado, já que o preço das commodities tem caído a pique nos últimos anos e perdeu 9% nos últimos cinco meses.

 

A Goldman reconhece que este ano alguns factores não eram de facto previsíveis, tais como o aumento do fornecimento de petróleo na Líbia e Nigéria e o impacto climático em algumas culturas. "Mas isso não explica o facto de nós (e o mercado) termos errado tanto", escreveram analistas do banco numa nota da passada sexta-feira pela Bloomberg.

  

A Goldman Sachs manteve os negócios das commodities apesar dos seus concorrentes como Morgan Stanley, JPMorgan Chase & Co., Barclays Plc e Deutsche Bank AG terem reduzido ou mesmo abandonado o negócio nos últimos anos. Mas os decepcionantes resultados recentes levaram os executivos seniores do banco a questionar se esta desaceleração é cíclica, como o banco tem vindo a argumentar, ou estrutural, o que implica uma necessidade de remodelar o negócio, revela a Bloomberg esta segunda-feira, citando fontes relacionadas com o sector.


No entanto, ainda nenhuma decisão está tomada: "É comum que o banco analise as unidades de negócios em dificuldades, para ver o que pode ser melhorado", acrescentou a mesma fonte.

"As commodities foram e ainda são um negócio importante para os nossos clientes e continuaremos a investir para garantir que estamos a responder às suas necessidades", disse Michael DuVally, porta-voz do banco, numa declaração por e-mail à Bloomberg.


A revisão informal está a ser liderada por Isabelle Ealet, uma das três co-chefes globais da divisão de valores mobiliários que dirigiu a unidade de commodities por cinco anos até 2012 - uma época de ouro para a divisão, quando as receitas ascendiam a 3 mil milhões de dólares por ano. A Goldman é há décadas o banco com melhores resultados na área das commodities em Wall Street. A receita de commodities aumentou de menos de 500 milhões de dólares por ano entre 1981 e 2000 para um pico 3,4 mil milhões 2009, de acordo com um relatório do Senado sobre o envolvimento dos bancos americanos nos mercados de commodities. Mas no ano passado, o banco realizou cerca de 1 milhão em receita de commodities, e este ano embora não revele números a Goldman admite que a receita líquida na área das commodities foi "significativamente menor".


A receita de commodities dos principais bancos caiu para um mínimo de 11 anos em 2016, de acordo com a Coalition. 

Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.



Conheça mais sobre as soluções de  trading online da DeGiro.