Trading Maior fundo do mundo boicota nove empresas

Maior fundo do mundo boicota nove empresas

O fundo soberano da Noruega acrescentou nove empresas à sua lista negra por estas não cumprirem critérios éticos. EDP está sob vigilância.
Maior fundo do mundo boicota nove empresas
Bloomberg
Mariana Adam 17 de janeiro de 2018 às 15:30

A lista negra do Norges Bank - banco central norueguês e gestor do maior fundo soberano mundial - foi esta terça-feira, dia 16 de Janeiro, actualizada com o nome de nove empresas com quem se recusa a trabalhar. Estas empresas violam as regras éticas do fundo, neste caso porque alegadamente violam de forma sistemática os direitos humanos, reguem-se por más práticas ambientais e/ou produzem armas nucleares.

O fundo - um dos maiores investidores da bolsa portuguesa - anunciou que a empresa britânica de defesa BAE Systems é uma das excluídas devido ao seu envolvimento no fabrico de armas nucleares. Argumento utilizado para a expulsão de mais três empresas norte-americanas: a AECOM, a Fluor Corporation e a empresa de construção naval Huntington Ingalls Industries. 

A empresa imobiliária polaca Atal SA foi  também agora excluída porque representa "riscos para os direitos humanos". Já a companhia de navegação de Taiwan (a Evergreen Marine), a Korea Line, Precious Shipping e Thoresen Thai Agencies, passam a estar vetadas porque prejudicam o meio ambiente e/ou violam os direitos humanos. 

Mais de 100 empresas, incluindo gigantes como Airbus, Boeing, British American Tobacco e Wal Mart, Rio Tinto e Philip Morris, constam desta lista negra com quem o Fundo Soberano da Noruega se recusa a trabalhar. Uma dúzia de outros grupos, tais como a Endesa e a EDP, estão sob observação, um espécie de aviso amarelo.

O fundo que já ultrapassou a barreira dos mil milhões e que tem participações em cerca de 9.000 empresas em todo o mundo, rege-se por regras éticas que o proíbem de investir em empresas que produzam armas nucleares, tabaco, causem danos ambientais, violem os direitos humanos e grupos que obtenham a maior parte dos seus lucros do carvão. Esta lista tem sido actualizada anualmente  e tem ganho uma importância acrescida já que muitas vezes o seu escrurtinio passa a ser seguido por outros investidores.

O Norges Bank explica que a sua decisão foi tomada com base nas recomendações do seu conselho ético e garante que, antes de adoptar este veto, estuda outras medidas, inclusive o exercício de seus direitos no capital das respectivas empresas.


O fundo soberano anunciou no final do ano passado a intenção de abandonar o sector do petróleo e gás, reduzindo as suas participações em empresas desta indústria, que totalizam 35 mil milhões de dólares (cerca de 29,6 mil milhões de euros), para proteger a economia do país, que é o maior produtor de petróleo da Europa ocidental. De acordo com a US Energy Information Administration, a Noruega é o 15º maior produtor de petróleo do mundo. O fundo, criado em 1996, com o objectivo de investir as receitas do petróleo e gás natural para assegurar as pensões dos noruegueses já tinha eliminado do seu portefólio praticamente todas as acções do sector do carvão.  



Conheça mais sobre as soluções de  trading online da DeGiro.