Trading Metade das ofertas iniciais de moedas virtuais morre quatro meses depois da venda de tokens

Metade das ofertas iniciais de moedas virtuais morre quatro meses depois da venda de tokens

Cerca de 56% das start-ups de criptografia que arrecadam dinheiro através de vendas de tokens morrem nos quatro meses após as suas ofertas iniciais da moeda.
Metade das ofertas iniciais de moedas virtuais morre quatro meses depois da venda de tokens
Bloomberg
Bloomberg 11 de julho de 2018 às 16:03

Esta foi a conclusão de um estudo do Boston College que analisou a intensidade das publicações no Twitter das contas das start-ups para inferir sinais de vida. Os analistas determinaram que apenas 44,2% das start-ups sobrevivem 120 dias após o fim das suas oferta iniciais de moedas (ICO, na sigla em inglês).

 

Os analistas, Hugo Benedetti e Leonard Kostovetsky, examinaram 2.390 ICO que foram concluídos antes de Maio.

 

Adquirir moedas numa ICO e vendê-las no primeiro dia é a estratégia de investimento mais segura, disse Kostovetsky numa entrevista. Mas muitos investidores individuais não podem participar nas ICO, então essa opção não é viável para estes. Mesmo assim, a probabilidade é de que todos os investidores venderão as suas moedas nos primeiros seis meses, de acordo com o estudo.

 

"O que descobrimos é que, quando passam os três meses, até no máximo seis meses, elas não superam o desempenho de outras criptomoedas", afirmou Kostovetsky. "O retorno mais forte, na verdade, é no primeiro mês."

 

Os retornos têm diminuído com o tempo, à medida que as start-ups adquirem mais experiência sobre o preço das ofertas de moedas e que mais pessoas fazem investimentos em ICO. Os retornos das pessoas que venderam os tokens no dia em que passaram a cotar numa bolsa têm caído quatro pontos percentuais por mês, disse Kostovetsky.

 

"Eles estão muito mais baixos agora, por isso acho que não vão continuar a cair a este ritmo", afirmou.

 

Uma série de estudos recentes mostrou como é arriscado investir em ICO. Mais de 1.000 tokens já se transformaram em pó, segundo o site Coinopsy.

 

"As pessoas geralmente olham para os retornos e acham que este é um óptimo negócio, mas em finanças nós ensinamos que o retorno é uma compensação pelo risco", salientou Kostovetsky.

 

"Estas são apostas em plataformas que ainda não foram construídas, que ainda não têm participantes. Há muito risco. A maioria dos ICO fracassa", realça o mesmo responsável.

 

Kostovetsky é professor assistente na Carroll School of Management do Boston College e Benedetti está a fazer um PhD em finanças na faculdade.

(Texto original: Half of ICOs Die Within Four Months After Token Sales Finalized)



Conheça mais sobre as soluções de  trading online da DeGiro.