Trading Tesla já perdeu em dois dias o que ganhou na terça-feira

Tesla já perdeu em dois dias o que ganhou na terça-feira

A valorização conseguida na terça-feira pela fabricante norte-americana de veículos eléctricos foi praticamente eclipsada nas duas sessões seguintes.
Carla Pedro
Carla Pedro 09 de agosto de 2018 às 21:14

Na passada terça-feira, o CEO da Tesla, Elon Musk, anunciava num tweet que estava a pensar retirar a Tesla de bolsa, mediante o pagamento 420 dólares por acção para a tornar numa empresa de capital fechado.

 

O mercado reagiu de imediato em alta, tendo as acções chegado a disparar 8,53% para 371,15 dólares. "Precisou apenas de 61 caracteres para aumentar a sua riqueza em 900 milhões de dólares", escreveu então a Bloomberg.

 

As acções chegaram depois a estar estar suspensas de negociação durante mais de uma hora, visto que o anúncio de Musk não foi feito formalmente junto das autoridades reguladoras, mas ainda voltaram a transaccionar nos últimos 15 minutos da sessão regular em Wall Street e chegaram a disparar 13,30% - tendo encerrado a somar 10,99% para 379,57 dólares.

 

Ao preço de 420 dólares, a empresa vale 71,6 mil milhões de dólares (82 mil milhões contando com a dívida). Segundo os dados da Bloomberg, Musk tem uma posição de 19,78% na Tesla, o que significa que teria de desembolsar 57,5 mil milhões de dólares para comprar a restante parte – e Musk disse ter financiamento garantido, mas também apelado a que os accionistas se mantenham na eventual futura empresa de capital fechado.

 

Mas, no dia seguinte, após toda esta euforia… instalou-se o cepticismo. E assim tem continuado. Na quarta-feira perdeu 2,43% e esta quinta-feira cedeu 4,83% para encerrar a valer 352,45 dólares.

Antes do tweet de terça-feira, a Tesla tinha encerrado a sessão anterior a valer 341,99 dólares, pelo que está praticamente de regresso aos níveis anteriores ao anúncio de Musk.

 

A Tesla chegou hoje a estar a cair 6,65% devido ao cepticismo dos investidores quanto à capacidade de financiamento de Musk para retirar a empresa de bolsa e também devido a uma informação avançada pelo The Wall Street Journal que diz que a Securities and Exchange Commission (SEC – autoridade reguladora dos mercados de capitais nos EUA, correspondente à CMVM em Portugal) está a questionar a empresa sobre o porquê de Musk ter anunciado os seus planos na rede social Twitter e sobre a veracidade das suas intenções.

Entretanto, a agência de notação financeira Moody’s sublinhou esta quinta-feira que o facto de a Tesla estar a considerar tornar-se uma empresa de capital fechado com base numa carta de Musk enviada aos accionistas após os seus tweets "é negativo para o ‘outlook’ do crédito da empresa".

(notícia actualizada às 21:49)



Conheça mais sobre as soluções de  trading online da DeGiro.