Gestão & Administração Indicadores analíticos que seduzem gestores

Indicadores analíticos que seduzem gestores

Trocar a folha de cálculo por ferramentas capazes de diminuir de dias para horas, ou mesmo minutos, o tempo necessário para produzir um relatório, ou apurar um conjunto de indicadores.
Indicadores analíticos que seduzem gestores
C-Studio 15 de fevereiro de 2017 às 17:49

Na era da globalização, garantir sucesso tornou-se sinónimo de decidir rápido e decidir bem. Para não perderem oportunidades de negócio, as empresas, independentemente do ramo de atividade, têm cada vez mais de estar atentas ao que se passa à sua volta: conhecer bem o mercado, estar a par das suas transformações e se possível antecipá-las.

 

O primeiro passo para atingir estes objectivos tem de ser dado dentro da própria organização, que precisa de ter processos ágeis, acesso fácil a todos os dados que podem influenciar a tomada de decisões e capacidade para os transformar em "inputs" valiosos.

 

É neste cenário que as soluções de analítica têm ganho cada vez mais relevância e cativado de forma crescente a atenção dos gestores. Começaram por ser adoptadas em sectores de margens curtas e onde se exige rápida capacidade de reacção a alterações, como a grande distribuição, mas hoje chegam às mais diversas áreas.

A seduzir os gestores está a possibilidade de trocar decisões com base na intuição por decisões baseadas em factos. É a possibilidade de tirar partido de dados que já estão na empresa, mas que sem este tipo de ferramentas levam tanto tempo para serem reunidos que quando isso acontece já estão desactualizados.

 

É trocar a folha de cálculo por ferramentas capazes de diminuir de dias para horas, ou mesmo minutos, o tempo necessário para produzir um relatório, ou apurar um conjunto de indicadores.

      

Numa era em que conhecimento é poder, instrumentos deste tipo, como são as soluções de "business intelligence", ganham especial relevância. Permitem "digerir" rapidamente dados provenientes de múltiplas fontes, de diferentes sistemas dentro da organização, e convertê-los em informação útil, apresentada de forma simples, gráfica e intuitiva (em "dashboards"), na forma de relatórios ou indicadores (KPI – Key Performance Indicators), que ajudam a compreender o comportamento do negócio e facilitam decisões futuras. Identificam padrões, níveis de consumo dos clientes, variações importantes e, com base nisso, conseguem apontar tendências.

 

As possibilidades são as mais diversas e por isso é importante apontar na direcção certa na hora de investir, identificando bem as questões para as quais se procuram respostas, tendo em conta que a integração de uma solução deste tipo com os sistemas já existentes na empresa é fundamental para obter os resultados esperados.

Algumas áreas específicas nas quais a analítica pode fazer a diferença dentro de uma organização são, por exemplo, as vendas, ao permitir a análise de clientes e transacções rapidamente e de forma precisa. Na gestão de "stocks", filtrando os dados registados no software de gestão para optimizar a cadeia de valor e prever necessidades. Ou no marketing, identificando áreas em que faz mais sentido fazer uma campanha e monitorizando com rigor o retorno desses investimentos.

 

Entregar estas tarefas ao software, que também pode ser colocado ao serviço de objectivos mais genéricos de apoio à gestão, não vai apenas transformar a empresa numa organização mais transparente, porque os dados que por lá circulam ficam mais visíveis para quem precisa deles, como oferece outras vantagens.

 

O risco na tomada de decisões diminui, porque há mais conhecimento na sua base; a capacidade de resposta da organização a solicitações de clientes ou alterações de mercado aumenta; e os custos diminuem. Além disso, são eliminadas tarefas rotineiras relacionadas com a recolha e o tratamento de informação.

 

Em última análise, o caminho para aumentar receitas está aberto. Com o advento do "big data", que leva a análise de informação ao universo dos dados não estruturados, esse potencial torna-se ainda mais relevante.