Mobilidade Internet é forte aliado nas vendas

Internet é forte aliado nas vendas

Tirar partido das mais-valias da web, colocando os produtos online e traçando os caminhos sociais para fomentar as vendas, é uma estratégia a ter em conta do lado das organizações.
Internet é forte aliado nas vendas
C-Studio 18 de maio de 2017 às 17:42

"Eu ainda sou do tempo em que…" é uma frase feita bem sabemos, um daqueles conceitos que se ouvem diariamente a propósito de tudo e de nada, mas, na verdade, nada poderia encaixar melhor aqui do que esta mesma ideia: "Eu ainda sou do tempo em que… para ver, avaliar, comparar, adquirir e trazer algo para casa era mesmo (mesmo) preciso ir à loja" (espaço físico, entenda-se).

 

Este é um conceito que tem passado por uma profunda transformação; a forma de ficarmos a conhecer os produtos, de lhes estudarmos as principais características; a forma de compararmos com a concorrência, comprar e trazer consigo esse mesmo produto mudaram substancialmente.

 

Da loja física (única fonte disponível) passámos para uma miríade de opções quase sempre à distância de um clique. Ao consumidor, por seu lado, passou a ser apenas necessário carregar num botão, "googlar" o que se pretende, comparar preços e características e, finalmente, adquirir o bem ou serviço em casa.

 

Simples. Muito simples mesmo. O novo cenário surge suportado no advento das novas tecnologias que permitem agora a quem compra, mas, acima de tudo, a quem vende, usufruir de um vasto leque de possibilidades.

 

Ou seja, mudou substancialmente a forma como se faz negócio actualmente.

 

Fruto da transformação digital e da quarta plataforma tecnológica, as organizações dispõem agora de ferramentas mais direccionadas ao que pretendem e outras que lhes permitem fazer uma divulgação de massa, casos das redes sociais.

 

Desde logo, as plataformas online permitem, facilmente, criar lojas web através das quais passa a ser possível comercializar produtos e serviços. E, contas feitas, vender na web é quebrar as fronteiras físicas e aceder a milhares (ou milhões) de clientes em todo o mundo.

 

Apesar das maravilhas da internet, o cliente web revela ser alguém mais desconfiado e com o qual é menos fácil fazer negócio. A verdade é que estamos a falar de clientes online bastante exigentes e aos quais importa disponibilizar bons padrões de serviço.

 

Uma segunda ideia que poderá ajudar a dinamizar o negócio e a venda, nomeadamente, de produtos é a opção de integrar grandes plataformas de distribuição, como é o caso da Walmart, sobejamente conhecida a nível mundial, de várias cadeias de distribuição ou outras semelhantes.


Este tipo de plataformas agrega um alargado conjunto de ofertas o que lhes permite estar mais próximas de quem procura e vai comprar produtos ou serviços.



Dizer sim às redes sociais

 

Twitter, Facebook, Instagram e várias outras redes sociais nascidas em plena era digital podem e devem ser encaradas como excelentes locais para promover produtos e gerar tráfego para a página (obrigatória) de venda de produtos/serviços da organização na web.

 

Por outro lado, aproveitando a força deste tipo de media, importa que os gestores de hoje em dia procurem grupos ou comunidades que demonstrem os seus interesses em temas relacionados com os produtos promovidos pela organização em sim e comecem a participar activamente nesses fóruns de discussão ao mesmo tempo que oferecem também conteúdo e enriquecem as discussões.

 

Já a publicidade online é outra questão a ter em conta, tornando-se cada vez mais determinante anunciar nas plataformas web. Na verdade, os gestores que procurem dar um passo em frente na sua estratégia de negócio e consequente crescimento devem investir em serviços de publicidade online que lhes permitam trazer tráfego às suas páginas.

 

O Facebook dispõe, há algum tempo, de uma ferramenta própria que gere este tipo de necessidades; o mesmo acontece com o Google, via Google Adwords, por exemplo.

 

Associada a estas opções estratégicas surge uma outra a ter em conta e que poderá passar pela criação de um blogue próprio, através do qual, de uma forma leve mas muito profissional, se poderá ir passando informação relacionada com o negócio da empresa.

 

Seja qual for a opção escolhida, uma coisa é certa: na nova era digital, estes são passos determinantes a dar por parte de uma organização sob pena de não evoluir e de acabar por ficar pelo caminho.