Gestão & Administração Quem deve gerir a transformação digital?

Quem deve gerir a transformação digital?

CIO, CTO, CEO? Regra geral, todos os C-Level são responsáveis e devem coordenar-se, mas por vezes as responsabilidades sobre a condução dos processos de transformação digital ainda não estão realmente claras dentro das organizações.
Quem deve gerir a transformação digital?
C-Studio 01 de junho de 2017 às 13:07

O conceito de transformação digital, e tudo quanto isso acarreta, veio mesmo para ficar e nenhuma organização, por menor que seja, conseguirá contornar a adopção de uma estratégia neste campo.

 

Na realidade, todos os negócios terão de se digitalizar e reinventar-se de algum modo se quiserem sobreviver numa era em que os consumidores estão cada vez mais conectados, informados, exigentes e menos previsíveis.

 

As novas plataformas digitais e o conjunto das mais recentes tecnologias móveis, de "cloud", "big data", entre outras, tornam as empresas mais ágeis, mais produtivas, mais focadas no cliente e, acima de tudo, muito mais rentáveis.

 

Ora se, ao abordarmos a transformação digital, falarmos aqui das denominadas empresas "born digital", o processo torna-se bastante mais célere e sem grandes percalços já que estas são organizações que incorporaram desde sempre no seu ADN os principais conceitos digitais – sem os quais, aliás, a larga maioria delas não sobrevive.

 

Nas grandes organizações mais tradicionais ou cujo peso da história já se fará sentir, a questão coloca-se de uma outra forma. Transformação digital implica redefinição de estratégias internas e a reorganização de equipas e recursos humanos. Mas implica, acima de tudo, conseguir perceber a quem caberá, dentro de cada organização, liderar todo este processo.

 

A larga maioria dos especialistas defende que este é um "trabalho" da responsabilidade dos vários C-Level que devem conseguir coordenar-se entre si para o levar a bom porto.

 

De uma maneira geral, e segundo dados de um estudo levado a cabo por um fabricante de ERP, as organizações ainda têm sérias dúvidas sobre quem lidera este processo.

 

De qualquer forma, 40% dos inquiridos acreditam que são os CIO quem tem a missão de conduzir a organização rumo à digitalização, enquanto 39% falam dos CEO, 35% dos CFO, 20% dos CTO e 6% dos CMO.

 

No mesmo estudo, 40% referiram que as suas organizações já se encontram preparadas para a transformação digital, 86% disseram esperar que o conceito venha a desempenhar um papel-chave dentro de cinco anos na sua organização e 76% disseram ainda necessitar de mais informação sobre o conceito em si.

 

Independentemente dos resultados em si, a verdade é que muitos especialistas defendem que a larga maioria do "trabalho" associado à transformação digital ficará nas mãos das equipas de TI e dos seus CIO.

 

De uma forma ou de outra, a verdade é que, em grande parte das organizações, as TI e o negócio ainda estão em lados opostos "da barricada". Esta ausência de uma "proximidade holística" surge consubstanciada no facto de, nem sempre, os objectivos entre as duas áreas serem realmente convergentes.

 

Assim sendo, este é um tipo de relacionamento que deverá assentar na excelência operacional, por um lado, e na excelência da liderança, por outro, esta última muito suportada numa cultura de inovação e risco conduzida pelos CIO.

 

Por outro lado, o diálogo entre estes profissionais e o lado do negócio é essencial, para não dizer mesmo determinante, tornando-se cada vez mais urgente implementar iniciativas dentro das organizações que consigam educar as pessoas do negócio sobre a importância das TI, devendo o CIO fazer sempre parte do núcleo duro deste grupo de pessoas.