Automóveis Dacia Duster: Nova caixa automática de dupla embraiagem

Dacia Duster: Nova caixa automática de dupla embraiagem

O Dacia Duster chegou ao mercado em 2010. Bem desenhado, motorizações eficientes e uma boa relação preço/qualidade, o primeiro SUV da marca da Aliança Renault-Nissan, conquistou rapidamente uma larga faixa de clientes, posicionando-se no segundo lugar do segmento.
Adriano Oliveira 31 de dezembro de 2016 às 15:30
Características

20.000€*

Dacia Duster 1.5 dCi 110cv S&S FAP

Motor: dianteiro transversal, gasóleo, ferro/alumínio, 4 cilindros em linha, 8 válvulas, injecção directa, common-rail, "start/stop"
Cilindrada: 1.461 cc
Potência: 110 cv às 4.000 rpm
Binário: 250 Nm às 1.750 rpm
Velocidade máxima: 169 km/h
Aceleração: 11,9s 0-100 km/h
Tracção: dianteira
Transmissão: auto EDC 6 velocid.
Consumo misto: 4,5 l/100km
Consumo urbano: 4,4 l/100km
Cons. extra-urbano: 4,5 l/100km
Emissões CO2: 116 g/km (Euro VI)
*Preço indicativo

Outras versões:
(4x2) - 1.2 TCe 125cv: a partir de 14.490€; - 1.5 dCi 110cv: a partir de 18.550€
(4x4) - 1.5 dCi 110cv: a partir de 21.050€


Em 2015, o Duster recebeu o primeiro "restyling", uma actualização importante, tanto mais que a nova imagem definiu o estilo de outros modelos como o Logan e o Sandero.

A partir de Janeiro próximo, o Duster passa a ser proposto com uma nova caixa automática de dupla embraiagem em alternativa à caixa manual.

Utilizada há apenas três anos pela Renault, a caixa EDC (Efficient Dual Clutch) de seis relações, é fabricada pela empresa alemã Getrag e tem bons desempenhos, como pudemos experimentar na Croácia.

A nova caixa permite passagens rápidas sem quebra de binário e oferece conforto e suavidade na condução. O condutor tem sempre a possibilidade de retomar o comando manualmente através da alavanca, sem que isso signifique um aumento do consumo, face à caixa manual. Patilhas ao volante não há. Eficiência "oblige"!

A caixa EDC está disponível apenas com o dCi de 110cv e tracção 4x2. A diferença de preço em relação à caixa manual é de cerca de 1.500 euros.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub