Automóveis Isuzu D-MAX - Mais e melhores argumentos

Isuzu D-MAX - Mais e melhores argumentos

A imagem rejuvenescida e o novo conjunto de motor turbodiesel e caixa de velocidades (manual e automática) conferem à Isuzu D-MAX mais e melhores argumentos para enfrentar a concorrência, num segmento recheado de alternativas.
Adriano Oliveira 04 de março de 2017 às 15:00
Características

29.900€

Isuzu D-MAX 1.9 Cabina longa

Motor: dianteiro gasóleo, 4 cilindros em linha, 16 válvulas, "common-rail", turbo de geometria variável, Cilindrada: 1.898 cc
Potência: 164 cv às 3.600 rpm
Binário: 360 Nm (2.000-2.500 rpm)
Velocidade máxima: 180 km/h
Aceleração: 13s 0-100 km/h
Tracção: 4WD
Transmissão: manual 6 velocidades
Consumo misto: 7,0l/100km
Consumo urbano: 7,6l/100km
Cons. extra-urbano: 6,6l/100km
Emissões CO2: 183 g/km (Euro VI)

Outras versões e preços:
- Cabina simples, trabalho, a partir de 23.500€; cabina longa, entre 26.900 e 29.900€
- Cabina dupla, trabalho, entre 26.600 e 35.500€; versões lazer, entre 37.500 e 41.150€
Portagens: Classe 1 nas 4x2


Nesta nova geração da Isuzu D-MAX, que continua a estar disponível em três diferentes tipos de cabina - simples (dois lugares), longa (três) e dupla (três e cinco) -, e com tracção atrás e 4WD (às quatro rodas), o maior destaque vai para a introdução do conjunto de soluções tecnológicas desenvolvidas especificamente para este modelo, a começar pelo motor a gasóleo mais eficiente, nos consumos e nas emissões. Mas não só.

Associado a este propulsor, agora de 1.9 litros, com 164 cv de potência máxima, a marca propõe novas caixas de 6 velocidades, manual e automática. Em resultado disso e do novo diferencial, foi possível baixar o peso, o que permitiu aumentar a capacidade de carga da D-MAX entre 30 e 60 quilos.

Esteticamente, as alterações estão essencialmente nos novos capô e grelha, bem como no redesenho dos pára-choques, dos faróis de nevoeiro e das ópticas dianteiras e traseiras. No interior, mais amplo e espaçoso, são de salientar as várias funcionalidades de arrumação e os tecidos mais resistentes e agradáveis ao toque.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
bruno 06.03.2017

nao vejo argumentos nenhuns. ja nao existem jipes e pickups verdadeiros. experimentem ir para o mato ou para a lama com ums destes "carros de estrada"

pub