Automóveis Mazda CX-5: Mais apelativo que nunca!

Mazda CX-5: Mais apelativo que nunca!

O novo Mazda CX-5 está melhor e mais apelativo. Renovado no exterior, no interior e ao nível do equipamento, o "crossover" japonês chega em Setembro e vai pagar classe 1 nas portagens.
Adriano Oliveira 03 de junho de 2017 às 16:00
33.285€*

Mazda cx-5 2.2 Skyactiv-d 150 cv 2WD, Essence

Motor: dianteiro transversal, alumínio, gasóleo, 4 cilindros, 16 válvulas, injecção directa, turbo, intercooler, "start/stop".
Cilindrada: 2.191 cc.
Potência: 150 cv às 4.500 rpm.
Binário: 380 Nm (1.800-2.600 rpm) às 3.500 rpm.
Velocidade máxima: 204 km/h.
Aceleração: 9,4s dos 0-100 km/h.
Tracção: dianteira.
Transmissão: manual 6 velocidades.
Consumo misto: 5,0l/100km.
Consumo urbano: 5,9l/100km.
Consumo extra-urbano: 4,6l/100km.
Emissões CO2: 132 g/km (Euro VI).

*Preço indicativo


A primeira geração do Mazda CX-5, lançada em 2012, é apontada como o ponto de viragem da marca com a aplicação da filosofia de desenho Kodo, baseada em linhas mais modernas, elegantes e até desportivas, que influenciaram todos os outros modelos do construtor. Ao mesmo tempo, surge a tecnologia SkyActiv para os motores, transmissões e carroçaria, que maximizaram a eficiência e, também, a dinâmica.

Agora, pretende-se nova viragem mas com outro conceito associado, o Jinba Attai, termo também japonês que faz referência à simbiose entre o cavaleiro e a sua montada, que devem formar um único conjunto em perfeita harmonia (uma espécie de condutor-e-carro-como-um-todo).

Resumindo, este conceito procura transmitir maior prazer de condução e permitir que os passageiros desfrutem mais da vida a bordo do novo Mazda CX-5. E isso traduz-se, por exemplo, em melhores materiais, um desenho mais acolhedor e mais cuidado nos detalhes. E, principalmente, também, numa maior comunicação entre homem e máquina, resultante da melhor ergonomia e maior facilidade na utilização dos equipamentos.

Ainda que as dimensões sejam muito semelhantes às do antecessor (cresceu só 10 mm no comprimento e é mais baixo 35 mm), por fora notam-se diferenças evidentes, sobretudo no plano estético, com destaque para os novos faróis rasgados e para a grelha frontal. Mas enquanto os pilares "A" foram reposicionados (recuaram 35 mm), o capô ficou ligeiramente mais alto, a fim de proteger os peões em caso de atropelamento. Outra novidade é a introdução de uma nova cor, o vermelho "soul crystal", que eleva o brilho em cerca de 20% e aumenta a profundidade em perto de 50%. Por dentro, também há grandes mudanças, com novos bancos e volante, incorporação de saídas de ar centrais para os lugares traseiros, um ecrã multifunções de 7 polegadas e o reforço do equipamento, seja de série ou opcional.

Quanto a motores, a oferta limita-se ao conhecido motor turbodiesel de 2.2 litros e 150 cv para as versões de tracção dianteira (2WD), e de 175 cv reservado à variante de quatro rodas motrizes. Ambos disponíveis com caixa manual ou automática de seis velocidades.

Em Portugal, o novo Mazda CX-5 estará à venda somente em Setembro, em virtude de aguardar uma homologação específica (ver destaque), que se ajuste à nossa legislação para poder pagar classe 1 nas portagens, unicamente na variante 2WD e associado à Via Verde. 



Destaques

Com 1.5 milhões de unidades vendidas, o Mazda CX-5 representa 25% das vendas globais da marca japonesa.

Classe 1 por um triz
A versão de duas rodas motrizes do Mazda CX-5 irá pagar classe 1 (com Via Verde) nas auto-estradas, mas para isso aguarda homologação com um peso bruto de 2.300 kg, dado que mede 1,12 m à vertical do eixo dianteiro, quando a legislação impõe 1,10 m. A versão AWD paga classe 2.

Preços indicativos
Ainda indicativos, os preços do CX-5, são os seguintes: versões 2WD de 150 cv, nível Essence, irão começar nos 33.285 euros; no nível Evolve, vão oscilar entre os 36.334 e os 43.720 euros. As versões AWD de 175 cv, nível Excellence, custarão entre os 40.378 e os 42.848 euros.


Negócios em Barcelona, a convite da Mazda





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub