Weekend A grande mecânica de Jaquet Droz

A grande mecânica de Jaquet Droz

Jaquet Droz recorda o mundo da descoberta com o Grande Seconde Dual Time, que parece seguir as viagens do seu criador
A grande mecânica de Jaquet Droz
Fernando Sobral 24 de Dezembro de 2016 às 14:00
A Jaquet Droz é herdeira de uma longa história que se inicia quando o relojoeiro Pierre Jaquet-Droz abre o seu ateliê em La Chaux-de-Fonds, na Suíça, em 1738. E que apenas entra num novo ciclo quando o grupo Swatch adquire a marca em 2000. Entre essas datas há uma rota fascinante que tem muito que ver com os relógios automáticos inventados e desenvolvidos por Pierre. Viajante incansável pela Europa durante o século XVIII, ganha grande reputação. E uma ida a Espanha, em 1758, garante-lhe autonomia financeira suficiente para desenvolver os seus projectos.

Vivendo na era do Iluminismo, cria algo inédito para o tempo: quatro autómatos, o Desenhador, o Escritor, o Músico e a Gruta. Fazem sensação nas cidades europeias onde são mostrados e a inauguração de uma loja em Londres abre-lhe as portas do mercado chinês. A vida nem sempre será fácil a partir daí, mas Pierre Jaquet-Droz torna-se um dos nomes mais sonantes da indústria relojoeira desde então.



O Grande Seconde Dual Time apresenta-se em três versões, uma versão com mostrador em esmalte Grand Feu e caixa em ouro rosa, e as restantes duas com caixa em aço, mas com mostrador prateado opalino ou onyx.


Marca que lembra o mundo da descoberta e da fascinação, apresenta agora o Grande Seconde Dual Time, que parece seguir as viagens de Pierre Jaquet-Droz no século XVIII. Esta é uma peça que celebra a magia a dois tempos, com um novo mecanismo e um segundo fuso horário elegantemente posicionado. Esta noção de saber as horas de dois locais ao mesmo tempo ficaria para sempre enraizada no universo da Jaquet Droz, que é homenageado por várias peças icónicas como a Twelve Cities, que exibe as horas de 12 capitais com um único ponteiro, o Grande Heure GMT e o Time Zones. Agora, pela primeira vez, a marca usa este conceito para inspirar um dos seus mais emblemáticos modelos: o Grande Seconde. Com base em todas as possibilidades que o tempo apresenta, esta histórica peça é dotada de dois mostradores descentrados, ligeiramente sobrepostos para delinearem a figura oito, o número predilecto da marca e um símbolo de equilíbrio e infinidade. Um novo movimento foi desenvolvido para criar um mostrador superior que exibe a hora local e um mostrador inferior dos segundos, descentrado às 6 horas, que se duplica com as horas e minutos de um segundo fuso horário.

O Grande Seconde Dual Time apresenta-se em três versões, todas com caixa com 43mm de diâmetro: uma versão com mostrador em esmalte Grand Feu e caixa em ouro rosa, e as restantes duas com caixa em aço, mas com mostrador prateado opalino ou onyx. É equipado com uma reserva de marcha de 65 horas, assegurando assim o seu lugar como um clássico moderno para todos aqueles que apreciam o Tempo em todas as suas dimensões. 





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub