Weekend Alta relojoaria: As propostas da A. Lange & Söhne

Alta relojoaria: As propostas da A. Lange & Söhne

A precisão relojoeira alia-se a uma estética que não muda muito, antes se adapta aos novos tempos. A A. Lange & Söhne apresentou o 1815 Calendário Anual na feira SIHH, em Genebra.
Alta relojoaria: As propostas da A. Lange & Söhne
Fernando Sobral 11 de fevereiro de 2017 às 14:00
A sobriedade da A. Lange & Söhne continua a ser a sua filosofia de orientação. Isso foi visível durante a feira SIHH, de Genebra, onde voltou a apresentar uma série de propostas para os próximos tempos que não se afastam muito da sua linha de sempre. São relógios distintos e elegantes e que facilmente são reconhecíveis. Uma das propostas mais interessantes foi o 1815 Calendário Anual, descrito como um "acompanhante prático para todo o ano". Com mecanismo de corda manual, indicação do dia da semana e mês, assim como das fases da Lua, apresenta-se como a interpretação clássica de uma complicação que é atractiva e útil.

Este é o segundo relógio da A. Lange & Söhne que surge equipado com a função de calendário a que deve o seu nome. Mas, ao contrário do Saxonia Calendário Anual, apresentado em 2010 com mecanismo automático, este novo modelo surge com um mecanismo de corda manual e indicação de data com ponteiro, segue os princípios clássicos da construção da família de relógios 1815. A corda manual surge como uma homenagem a Ferdinand Adolph Lange, que em 1866 patenteou nos EUA um dispositivo "útil para dar corda e ajustar o relógio". Surge também com indicação das fases da Lua, calculada com a precisão para 122,6 anos. Pela primeira vez num modelo da Lange, é possível avançar em separado para a data através de um botão incrustado.

Apesar do seu modo de construção compacto, este novo calibre de corda manual L051.3 dispõe de uma reserva de marcha de 72 horas. Os modelos surgem em versões de ouro branco e ouro rosa e mantêm-se aqui referenciados os padrões típicos da marca, desenhados desde a criação da Lange em 1846 por Ferdinand A. Lange. A precisão relojoeira alia-se sempre a uma estética que não muda muito, antes se adapta aos novos tempos. Mas que tem sempre em conta a herança da marca. Os seus relógios de bolso continuam, de resto, a ser bastante apreciados pelos coleccionadores. A marca também continua a ser extremamente cuidadosa no número de exemplares produzidos, o que lhe garante também uma imagem de sobriedade notável. Este 1815 Calendário Anual é prova disso.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub