Weekend Alta relojoaria: O tempo e o vento

Alta relojoaria: O tempo e o vento

A Hamilton, fiel às suas memórias americanas, apresenta o novo Khaki X-Wind Chrono Quartz GMT, onde as referências ao universo da aviação são patentes.
Alta relojoaria: O tempo e o vento
Fernando Sobral 11 de março de 2017 às 16:00
A Hamilton sempre fez jus à sua identidade histórica: a americana. Isto apesar de hoje pertencer ao grupo suíço Swatch. Mas isso nunca invalidou que a marca se mantivesse fiel aos seus princípios, que teve o seu primeiro fruto em 1893. Entre relógios de bolso e de pulso a Hamilton conquistou o seu território ao longo do século XX.

Para mostrar a sua continua versatilidade surge-nos agora com o Khaki X-Wind Chrono Quartz GMT, que se integra num conceito já desenvolvido. A linha Khaki X-Wind surge assim com um novo calibre, que combina a função 24 horas GMT e o cronógrafo. Uma robusta caixa de aço inoxidável de 46 mm com uma coroa aparafusada e uma luneta rotativa, enquadrando os contadores coaxiais de horas e minutos contra um poderoso mostrador de fundo preto.

A função GMT surge com os voos de longa distância, onde os pilotos necessitavam de um relógio que pudesse alterar os fusos horários e assim acompanhar a hora local e a hora no seu país de origem. Utilizadas por pilotos e viajantes, as funções GMT são muito apreciadas pela sua utilidade: basta olhar para o relógio para se saber o tempo em Tóquio, Zurique ou Nova Iorque.

O mostrador preto multinível permite navegar entre os três contadores, a janela de data posicionada às 3 horas e as lunetas rotativas interiores. O tema multidimensional é também reflectido à volta da caixa, com uma forma em X, visível entre os botões de pressão e a coroa. A extremidade laranja no ponteiro dos segundos ilumina o mostrador, enquanto uma luneta rotativa e a coroa aparafusada acrescentam um toque especial a esta peça. O Khaki X-Wind Chronoquartz GMT está disponível com bracelete de pele castanha, de borracha preta ou em aço inoxidável e em Portugal nas lojas Boutique dos Relógios e agentes autorizados da marca.

Recorde-se que o nome da marca nasceu de um advogado de origem escocesa, Andrew Hamilton, que fundou uma das marcas que acabariam por se fundir na Hamilton. Durante a expansão dos caminhos-de-ferro nos EUA estes adquiriam toda a produção da Hamilton, adaptando-se depois à produção de relógios de pulso a partir de 1917, respondendo a um pedido dos soldados da I Guerra Mundial e, durante a II Guerra Mundial, ocupando-se da produção de relógios para os militares. Ficaram na história vários modelos da Hamilton como o Oval, o Tonneau, o Rectangular, o Square Enamel, o Coronado, o Byrd, o Cambridge e o Flintridge.






A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub