Weekend Alta relojoaria: Um desportivo no pulso

Alta relojoaria: Um desportivo no pulso

A Roger Dubuis aliou-se à marca de pneus Pirelli e o resultado é o desportivo Excalibur Spider Pirelli, que surge com cores empolgantes.
Alta relojoaria: Um desportivo no pulso
Fernando Sobral 15 de julho de 2017 às 11:00
No mundo da alta relojoaria, são cada vez mais habituais as parcerias estratégicas. Marcas de relógios juntam-se a empresas de outras áreas para alargar o seu raio de acção, seduzindo mercados que são tentados pela fiabilidade, pela tecnologia e pelo valor das propostas. É isso também que sucede neste encontro entre a Roger Dubuis e a Pirelli, para o lançamento do novo Excalibur Spider Pirelli, o novo relógio da marca.

A Pirelli é conhecida como marca de pneus de automóveis e está intimamente ligada aos carros de corrida, nomeadamente na Fórmula 1. Esta parceria assenta numa lógica de experiência nova e sem limites, entre o rigor, o desafio e a exclusividade. E, nesse aspecto, o circuito do Mónaco serviu como palco perfeito para esta proposta diferente. Criadores e engenheiros de dois campos diferentes de actividade encontraram um elo comum. Conhecimento e pesquisa foram os caminhos para a inovação. O resultado, agora já disponível em forma limitada, é este Roger Dubuis Excalibur Spider Pirelli.

Estes relógios, de carácter extremamente desportivo, surgem em edições amarela e vermelha (depois da azul), as cores da marca de pneus. Afinal, a cor tem, a nível dos pneus, um carácter diferenciador, não só em termos de componentes, mas também de exclusividade. E esse conceito aplica-se também a estes relógios. Os modelos são acentuados pela coroa de titânio DLC. Isso distingue desde logo estas edições limitadas de 88 peças, numa caixa esqueletizada de 45 mm do Excalibur Spider Automatic Skeleton, com o calibre RD820SQ. A espessura é de 14.02 mm. A resistência é de 5 BAR (50 m). Tem a certificação do Poinçon de Genève. Tem também uma reserva de marcha de 60 horas.

No fundo, trata-se de uma proposta extremamente forte a nível desta cooperação entre a Roger Dubuis e a Pirelli, alargando campos de inovação e que trazem para o mundo da relojoaria as motivações desportivas das pistas da Fórmula 1.

Reinterpretar  

A relojoaria olha muitas vezes para o passado e reinterpreta os seus grandes feitos. É o que sucede com a Blancpain, que agora reinventa uma das suas peças vintage da década de 50, o Fifty Fathoms, com indicador de estanquidade. A história do Fifty Fathoms junta duas linhagens. A primeira pertence a Jean-Jacques Fiechter, um apaixonado mergulhador que foi CEO da Blancpain durante três décadas, entre 1950 a 1980. A segunda linhagem é a do capitão Robert "Bob" Maloubier e do tenente Claude Riffaud, fundadores da unidade de mergulhadores de combate da Marinha Francesa, que procuravam um relógio fiável para as suas missões subaquáticas. As duas linhagens de visionários cruzaram-se finalmente. Em 1953, a Blancpain apresentou um relógio para testes que cumpriu todos os critérios estabelecidos, que se tornou numa peça essencial de equipamento para a unidade de mergulhadores de combate da Marinha Francesa.

O novo relógio "Tribute to Fifty Fathoms MIL-SPEC" está equipado com o calibre automático 1151, produzido pela Blancpain, e que compreende 210 componentes montados com dois sistemas de corda em série e oferece uma reserva de marcha de quatro dias. Abrigado na sua caixa em aço inoxidável de 40 mm, o movimento, assim como o rotor dourado da corda com revestimento a NAC (uma liga de platina) e o logo Blancpain, é visível através do fundo da caixa em vidro de safira. O seu mostrador preto apresenta índices com revestimento Super-LuminNova e indicador de estanquidade, evocando o design da década de 50 do MIL-SPEC 1. A edição é limitada a 500 exemplares. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub