Weekend Ana Pêgo: "Não faz sentido que o plástico seja usado de forma tão descartável"
Conteúdo exclusivo para Assinantes Negócios Premium Se já é assinante, faça LOGIN

Ana Pêgo: "Não faz sentido que o plástico seja usado de forma tão descartável"

Ana Pêgo cresceu na Parede, onde coleccionava conchas e búzios. Algumas colecções ainda estão guardadas e até têm crescido desde que a bióloga começou a apanhar lixo na costa e criou o projecto “Plasticus maritimus”. Deste projecto nasceu a Balaena plasticus”, um esqueleto de baleia feito com 250 peças de plástico. Está no CCB até 31 de Julho.
Ana Pêgo: "Não faz sentido que o plástico seja usado de forma tão descartável"
Paulo Calado
Lúcia Crespo 20 de julho de 2018 às 14:00

Sempre morei na Parede, em Cascais, e a minha casa ficava mesmo ao lado da praia. Há pessoas que têm quintais, eu tinha uma praia. Quando era miúda, chegava a casa, largava a mochila )

Conteúdo exclusivo para Assinantes Negócios Premium
Assine e aceda sem limites, no pc e no smartphone Assinar por 1€ por 1 mês



Notícias só para Assinantes
Análise, informação independente e rigorosa..
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia.
Notícias e conteúdos exclusivos no website e aplicações móveis
Newsletter diária exclusiva para assinantes
Acesso ao epaper a partir das 22:00
Saiba mais
pub