Weekend Cozumel: Apaixone-se pelo mar e pelo mergulho

Cozumel: Apaixone-se pelo mar e pelo mergulho

A ilha situada em frente a Playa del Carmen é muito mais do que uma paragem de cruzeiros no mar das Caraíbas. É um paraíso, acima de tudo, para quem gosta de descobrir um fundo do mar como existem poucos no mundo.
Cozumel: Apaixone-se pelo mar e pelo mergulho
Vanda Cipriano 09 de julho de 2017 às 10:00
Quando se fala em Cozumel, fala-se também na Riviera Maya, mas esta ilha, também ela da província mexicana de Quintana Roo, merece um destaque particular. Sem tantos atractivos turísticos como Playa del Carmen, Tulum, ou Akumal, Cozumel chama todos os que são amantes da fauna e da flora marinha. Paragem principal de muitos navios de cruzeiro, esta ilha recebe o visitante com um centro muito limpo, arranjado, e de arquitectura a lembrar épocas coloniais - tão próprio das Caraíbas - mas recuperado e modernizado.

Lojas de artesanato e restaurantes de qualidade não faltam em São Miguel de Cozumel, embora as compras sejam melhores quanto mais longe estiver da zona do porto, não só em termos de preço como de qualidade. E, quanto mais se distanciar, mais tranquilo vai estar num paraíso de águas azuis e quentes, tão próprio desta zona do mundo.


E não há volta a dar, Cozumel é uma atracção para quem gosta de "snorkeling" ou mergulho. As ruínas arqueológicas tão conhecidas da província de Quintana Roo ficam na linha costeira entre Cancun e Tulum. Não espere, por isso, história e cultura nesta ilha tão propícia ao descanso, embora uma visita (rápida) a El Cedral permita ver o sítio arqueológico mais antigo da ilha, hoje em ruínas mal conservadas. Se quiser escapar a dias intensos de mar e descanso pode também dar um salto à única ruína maia que está conservada em Cozumel, a de San Gervasio, mas prepare-se para pagar uma entrada que dificilmente não achará elevada, tendo em conta o que vai ver.

Foi já depois da II Guerra Mundial que as infra-estruturas de Cozumel se desenvolveram, o que contribuiu em grande escala para o aumento do turismo, que é hoje a base de toda a economia de uma ilha, que foi dada a conhecer ao mundo pelos olhos de Jacques Cousteau, num documentário de 1960. Foi aí que o investigador tornou internacionalmente conhecido um fundo do mar cheio de coloridos e vivos corais, apresentado por muitos como um dos melhores do mundo.


Mas tenha em atenção que, mesmo com um fundo do mar claro e límpido, Cozumel pode ter ventos fortes, havendo alturas de risco menor para quem gosta de mergulho. A melhor época para desenvolver esta actividade sem ser ameaçado por furacões é claramente entre Março e Maio, quando o mar tende a ser mais calmo.

Tome nota de nomes como Palancar, Colombia e Cielo, que são pontos óptimos de mergulho e de "snorkeling", onde existem (muitas) estrelas do mar. Cozumel convida ao descanso e a uma vida ligada ao mar, havendo toda uma tranquilidade também fora dele. Se é praia que procura, são muitas as opções, mas há uma, situada bem em frente ao Parque Chankanaab, de onde não vai querer sair. A água é cristalina e os peixes nadam a seu lado.


Como ir

Cozumel tem aeroporto internacional, com ligações de alguns países europeus. Outra hipótese pode ser apanhar o barco de Cancun (mais longe), onde chegam a maioria dos voos para esta zona, ou de Playa del Carmen. A travessia demora 45 minutos e custa 13 euros.

Indicações úteis

Cozumel está inserida numa zona turística, por isso conte com uma cotação elevada do peso mexicano, que oscila brutalmente entre lojas. O dólar americano é aceite em todo o lado, mas o câmbio ficar-lhe-á sempre desfavorável. 1€: 20 MXN.

Onde ficar

Cozumel está inundado de hotéis de primeira linha do mar com o sistema "tudo incluído", sendo fácil a marcação, na maioria deles, por sites de busca internacional. Se quiser fugir a este tipo de turismo, há algumas pousadas na ilha, de gerência familiar e bastante agradáveis.





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub