Weekend Escolhas árduas para a mesa das festas

Escolhas árduas para a mesa das festas

A aquisição de vinhos, espumantes e maltes para a mesa das Festas que se avizinham é hoje de uma enorme complexidade. As plataformas virtuais alteraram totalmente as regras, e os melhores produtos estão ao alcance de uma conexão virtual.
Escolhas árduas para a mesa das festas
José Vegar 02 de dezembro de 2017 às 11:12
Houve um tempo, não demasiado longínquo, em que as escolhas eram singelas, como a mesa. Havia um amigo que tinha ido a Paris em trabalho, ou um outro que tinha "ido à terra", lá para os lados das encostas do Douro, ou um terceiro com bons contactos no Alentejo. Estas eram redes de homens generosos, que colhiam para si, mas também para os seus. E assim, a mesa das Festas, a do Natal e a do Ano Novo, e todas as outras pelo meio, recebiam para partilha aquele tinto raro, o espumante mais desejado, ou até, para apreciadores sérios, um malte considerado desaparecido.

A tecnologia e a logística global assassinaram toda a pureza desta simplicidade. As interconexões logísticas permitem reunir muito rapidamente num só armazém o melhor produto, seja ele vinho de Bordéus, Borgonha ou Mendoza, espumante de produção limitada, ou malte das mais altas e remotas terras escocesas ou japonesas. A tecnologia permite reunir todo este produto de eleição numa só plataforma, iluminada por um brilhante design gráfico, e uma quase infinita capacidade de armazenamento. A escolha do que se bebe à mesa nas Festas passa de singela a extremamente complexa. No entanto, ser justo obriga a que se refira o lado brilhante deste cenário, o de que um computador com acesso à rede permite escolher os melhores vinhos, espumantes, maltes e outros líquidos do mundo.

A plataforma que melhor percebeu esta mudança vertiginosa do mundo é a Clos 19, www.clos19.com, que possui um catálogo verdadeiramente estonteante. O modelo de negócio do Clos 19 é simples. Os básicos são contemplados, claro, ou seja, os melhores vinhos, espumantes e maltes das melhores origens, com preços que oscilam entre as centenas e os milhares de euros, no caso dos maltes e champagnes de eleição. Mas, além dos básicos, o Clos 19 tem dois departamentos fundamentais. Um é o raridades, onde estão os líquidos para investimento, e o outro é o experiências, ou seja, a oferta de uma oportunidade para, por exemplo, visitar o "terroir" ou beber acompanhado pela refeição indicada, criada por um "chef" de topo. É, sem dúvida, uma plataforma que serve o espírito contemporâneo.

Mais modesta no conceito, mas igualmente ambiciosa na oferta, é a The Champagne Company, www.thechampagnecompany.com, com uma fortíssima selecção de todas as tipologias de espumante, de todas as origens certificadas. Ao seu lado, está uma outra plataforma, The Finest Bubble, www.thefinestbubble.com, que, apesar do nome poético, tem também uma escolha criteriosa de espumante, servida a par de algumas raridades "gourmet", como caviar. As duas plataformas tornam muito difícil a escolha do melhor espumante para as festas.

Finalmente, muito mais sóbria, mas poderosa na sua selecção, é a plataforma Hedonism Wines, acessível em www.hedonism.co.uk. Aqui estamos a falar de vinhos de topo supremo, que alegrarão efusivamente de conhecedores, mas também o investidor mais exigente. Por outras palavras, eis um conjunto de plataformas que tornam a escolha para as Festas extremamente árdua. 


Nota ao leitor: Os bens culturais, também classificados como bens de paixão, deixaram de ser um investimento de elite, e a designação inclui hoje uma panóplia gigantesca de temas, que vão dos mais tradicionais, como a arte ou os automóveis clássicos, a outros totalmente contemporâneos, como são os têxteis, o mobiliário de design ou a moda. Ao mesmo tempo, os bens culturais são activos acessíveis e disputados em mercados globais extremamente competitivos. Semanalmente, o Negócios irá revelar algumas das histórias fascinantes relacionadas com estes mercados, partilhando assim, de forma independente, a informação mais preciosa.





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub