Weekend Lombok: Selvagem e ainda por descobrir

Lombok: Selvagem e ainda por descobrir

Pertinho de Bali e a uma distância curta de barco das Gili, Lombok é uma ilha (ainda) pouco explorada pelo turismo, mas com um potencial imenso. As praias são o ex-libris da zona, mas estão longe de serem o único ponto alto. A natureza ainda é quem manda nesta região.
Lombok: Selvagem e ainda por descobrir
Vanda Cipriano 25 de junho de 2017 às 10:00
Nem todos os que conhecem Bali sabem que, a pouco mais de uma hora de barco desta mundialmente famosa ilha da Indonésia, existe outro paraíso, com muito para explorar e uma quantidade claramente inferior de turistas. Ainda. Dificilmente Lombok se manterá tão discreta dentro de alguns anos, até por ser uma das portas de entrada para as ilhas Gili, cada vez mais procuradas para quem quer descansar e "desligar" do mundo.

Lombok está por explorar, comparativamente a Bali, o que é perceptível nos preços mais baixos, no apoio ao turismo essencialmente feito por locais, mas também (ainda!) na pouca construção de "resorts" de luxo. E isso, dependendo do que procura, pode fazer com que tenha umas férias absolutamente inesquecíveis, se for amante da natureza e de percursos de "trekking", a começar pelo vulcão Rinjani que, mesmo estando activo, recebe dezenas de turistas por dia.

Se é cultura que procura, não deixe de visitar uma aldeia Sasak, onde vivem tribos próprias desta zona que lhe mostram uma realidade diferente de tudo o que já pode ter vivido. Ali pode aprender as tradições, hábitos e modo de vida destas comunidades, que, regra geral, vivem isoladas do resto da população. As casas, sem portas e janelas, e até as escolas, são feitas com canas e material do campo, fértil em agricultura e base da alimentação de todos os elementos da comunidade.

Há algumas vilas destas em Lombok, e a de Sade é a mais conhecida, sendo também a mais organizada e mais turística. Tem outras opções mais genuínas, especialmente no Norte da ilha, e, acredite, chegar a uma aldeia Sasak, que raramente tem contacto com o exterior, e ver os olhos das crianças a brilhar, sorrisos rasgados e sinceros nos rostos, pode tornar-se num momento mágico, que vai querer prolongar no tempo.

Quem chega até Lombok, ilha ainda tão pouco preparada para o turismo de escala europeia (o que, convenhamos, pode ter um lado delicioso), fá-lo na grande maioria pelas praias. Um roteiro rápido terá de começar por Senggigi, a cidade que mais se parece com uma zona de "resorts" – bem pertinho dali saem várias vezes ao dia os barcos rápidos para as ilhas Gili – e onde não lhe será complicado encontrar bons restaurantes. Um pouco mais a norte encontra Pandanan, com o mesmo azul de Senggigi na água do mar, mas muito mais calma e onde será muito difícil encontrar turistas. 

Comparativamente a Senggigi, Kuta, no Sul de Lombok, é mais tranquila, e é uma zona cheia de praias bonitas, que vale a pena explorar, sendo uma região de eleição para os amantes do surf.

Um salto a Tanjung Aan, alcançável a 15 minutos de Kuta, vai fazê-lo querer mergulhar num mar com um azul-turquesa, a fazer lembrar as Caraíbas e, se quiser continuar a ronda pelas praias, fique umas horas por Selong Belanak, outro paraíso alguns minutos mais a este. Feito o roteiro das praias, num ambiente descontraído e relaxante, vai querer, então, partir para as Gili, tão próximas de Lombok, e tão diferentes. Todas com uma atmosfera especial. 

Como ir

Pode chegar a Lombok por Bali, ou por via aérea. O aeroporto, situado na capital Mataran, recebe voos de várias cidades asiáticas, mas as ligações mais fáceis serão de Kuala Lumpur e de Jacarta, podendo qualquer um dos dois ficar a um preço muito acessível. Numa boa promoção pode conseguir chegar a Lombok por 600 euros.  

Onde Ficar

Dependendo da zona de Lombok que queira visitar, terá muitas opções ao dispor por variadíssimos preços. A zona de Senggigi é o ponto de partida para as Gili, mas é também ali que se concentram os melhores hotéis, sendo o primeiro local onde as cadeias internacionais apostaram. Lembre-se de que está numa ilha pouco explorada, pelo que o alojamento pode ser limitado em termos de luxo.

Indicações úteis

A gastronomia indonésia é muito conhecida, um pouco à semelhança do que aconteceu com a maioria dos países asiáticos. O Nasi Goreng é o prato mais tradicional e é possível encontrá-lo em todo o lado. O país é maioritariamente muçulmano – a excepção é Bali – e, por isso, é aconselhável recato. A moeda é a rupia indonésia: 1€ - 15.000 IDR.






A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub