Weekend Nova Iorque não dorme e orgulha-se disso

Nova Iorque não dorme e orgulha-se disso

Uma cidade que apaixona pais e filhos. Mesmo os que são mais pequenos. E de onde se sai com vontade de marcar o regresso, porque o tempo nunca chega para ver tudo (e é muito) e para passear numa metrópole frenética, vibrante, mas que tem locais para estar apenas em silêncio.
Nova Iorque não dorme e orgulha-se disso
Vanda Cipriano 10 de setembro de 2017 às 10:00
Não tenho qualquer pretensão de fazer um guia de Nova Iorque, uma das cidades mais visitadas no mundo, mas tentarei descomplicar algumas questões para quem vai, pela primeira vez, à metrópole norte-americana. É a cidade que não dorme, orgulha-se disso, e que bem sabe, a quem quer visitá-la, o facto de o relógio não ser um problema.

Na vibrante Nova Iorque dificilmente não serão felizes, graúdos ou miúdos. Sim, miúdos, porque é possível uma visita de alguns dias com uma criança de 3 ou 4 anos, de manhã à noite, sem que ela se aborreça. Como? Transforme a sua viagem na viagem deles. Afinal, chegou à "cidade das luzinhas e dos prédios muitos altos", daqueles que "não há no nosso país" e onde há uma superloja da Disney - aproveite para visitá-la numa deslocação à imperdível Times Square.

Lembre-os, aos mais novos, de que há também o prédio gigante para ver a cidade de cima [o Empire State Building] ou o passeio de barco até à Estátua da Liberdade. Há quem ache que a estátua se vê bem ao longe, mas nós adorámos subir e passear nos jardins. Tenha só em mente que o acesso à coroa é limitado e esgota com bastante antecedência, ainda assim há um nível abaixo que recebe os turistas. A partir de 2019, a Estátua da Liberdade vai ter um novo museu multimédia, segundo foi anunciado pelas autoridades nova-iorquinas.


Depois, aproveite para ver os esquilos a saltarem em qualquer jardim, e vá ao mais mítico de todos, o Central Park. Um dia não chega para passear e conhecer o pulmão de Nova Iorque, mesmo que não vá ao Zoológico. Passeie pelos lagos, pelas pontes e sinta-se uma personagem de tantos e tantos filmes que nos mostraram partes deste pedacinho de uma cidade que promete ser inesquecível.

Feito o roteiro de Nova Iorque com crianças pequenas, olhemos para os pais - também já desfrutaram, não é? - e lembremos outros locais como o Rockefeller Center, a sede das Nações Unidas, o Museu Madame Tussauds, um espectáculo na Broadway, o Museu de Arte Moderna e, claro, uma visita ao One World Trade Center, que é imperdível, até pela história que carrega em cima. Esta torre, antes denominada como a Torre da Liberdade [Freedom Tower], foi construída no lugar do edifício 6 do antigo WTC. No lugar onde estavam as torres gémeas, destruídas no ataque terrorista de 11 de Setembro de 2001, estão dois enormes buracos, com água, e os nomes de todos os que faleceram naquele fatídico dia da História da humanidade. Ali, diariamente, e de forma religiosa, são colocadas em jeito de homenagem flores brancas junto aos nomes de todos os que, naquele dia, celebrariam mais um aniversário. A zona é movimentada, tem muita gente e muita segurança, mas consegue ouvir-se… o silêncio.


Nova Iorque ressentiu-se do atentado e isso vê-se em pequenas atitude do dia-a-dia, mas, mesmo assim, não pára. Um dos passeios que mais turistas atrai é a passagem da Ponte de Brooklyn, no alto da sua zona pedonal. Um conselho: faça o trajecto ao contrário. Apanhe as linhas A ou C para High Street e entre em Manhattan a pé. O "skyline" é arrebatador e, mais uma vez, as crianças adoram a sensação de andar em cima de uma ponte a ver os carros ali por baixo. Até dá para sentar no chão e tirar fotografias. Sim, nesta é permitido!


Visto e entrada

Os cidadãos portugueses que querem viajar para os Estados Unidos, além de um passaporte válido para um período superior a seis meses, têm de pedir o ESTA, que é a autorização que o habilita a entrar no país. Todos os viajantes precisam de uma, custa 11 euros (14 dólares) e tem validade de dois anos a partir do momento em que é solicitada.

Indicações úteis

Nova Iorque bate recordes anuais de entrada de turistas - em 2016, chegaram à cidade 60 milhões de visitantes - pelo que é muito aconselhável comprar bilhetes de entrada para as atracções ainda antes de viajar. Alguns têm dias e horas predefinidas, o que obriga a algum planeamento. Os nova-iorquinos não são particularmente afáveis e, regra geral, são até desconfiados, o que é fácil de se entender. De qualquer forma, são, na sua larga maioria, muito profissionais no atendimento ao público. A rede de transportes públicos de Nova Iorque é fantástica, pelo que o uso do metro e dos autocarros é altamente recomendável.

Onde ficar

Se quer hospedar-se em Manhattan, já sabe que não consegue fugir aos preços exagerados dos hotéis, alguns em condições pouco acima do mediano. Uma das opções é ficar em Secaucus, de onde chega à estação de Port Authority, bem ao lado de Times Square, em 15 minutos. O bilhete de ida e volta fica por 6,70 euros (8 usd) e há autocarros a cada dez minutos entre as 5 e as 2 horas da madrugada. Ali tem boas opções (La Quinta Inn ou Holiday Inn, entre outros) a preços três a quatro vezes mais baixos do que em Manhattan.





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub