Automóveis O fenomenal Mercedes-AMG E 63 S 4MATIC+

O fenomenal Mercedes-AMG E 63 S 4MATIC+

São 3,4 segundos dos 0 aos 100km/h. É quase tão rápido como pronunciar o nome do carro. Faça a experiência
Adriano Oliveira 23 de setembro de 2017 às 16:00
Mercedes-AMG e 63 S 4Matic+

Motor: dianteiro longitudinal, alumínio, gasolina, V8, 32 válvulas, injecção directa, biturbo, intercooler, ‘start/stop’.

Cilindrada: 3.982 cc.

Potência: 612 cv das 5.750 às 6.500 rpm.

Binário: 850 Nm das 2.500 às 4.500 rpm.

Velocidade máxima: 250 km/h.

Aceleração: 3,4s dos 0-100 km/h. Tracção: integral 4Matic+.

Transmissão: auto 9G-Tronic Plus.

Consumos aos 100km: misto 9,1 litros; urbano 11,7l; extra-urbano 7,6l.

Emissões CO2: 207 g/km (Euro VI).

Mercedes-AMG E 63 S. Experimente pronunciar o nome desta impressionante berlina alemã e cronometrar o tempo. O resultado vai determinar se é mais rápido ou mais lento do que o tempo que o E 63 S leva a cumprir os tradicionais 0 aos 100 km/h, que são 3,4 segundos. Nada mal para um automóvel que pesa quase duas toneladas (1.955 kg). E custa quase 200 mil euros.

Na formação do preço desta versão AMG E 63 S, que ensaiámos, estão incluídos 70 mil euros de impostos (34 mil de ISV e 36 mil de IVA) e ainda 20 mil de extras. Entre eles, o assistente de ângulo morto, os acabamentos exteriores e interiores em carbono ou o sistema de escape AMG... para quem gosta de se fazer ouvir.

Quanto a desempenhos, também a velocidade máxima, embora de fábrica venha limitada electronicamente, o E 63 S é excepcional. O contador chega aos 250 km/h, mas por mais 800 euros, preço do opcional AMG Driver’s Pack, é possível aumentá-la até aos 300 km/h. Claro está que para testar todo este potencial só em circuito ou viajar até às auto-estradas alemãs, o que não foi o caso.

O segredo esconde-se sob o capot. Um V8 biturbo de 4 litros, o mesmo do Classe C AMG e do coupé AMG GT, mas que aqui oferece 612 cv e 850 Nm. A versão clássica E 63 (sem o ‘S’, portanto) fica-se pelos 571 cv e 570 Nm.

A passagem da potência ao solo está a cargo de uma transmissão integral 4Matic+ e de uma caixa automática 9G-Tronic Plus de nove velocidades, que pode ser gerida através de patilhas.

Ao volante, o E 63 S revela um comportamento muito estável. Em condução urbana, a suspensão pneumática assegura o máximo conforto e o habitáculo, bem insonorizado, é eficaz na filtragem do ronronar do V8. Por sua vez, a caixa é rápida e suave nas passagens a baixas rotações, e sempre que o sistema detecta que não há esforço do motor, metade dos cilindros são desactivados para maior economia nos consumos.

Em estrada, numa condução mais desportiva, o E 63 S é muito rápido e seguro. E se chegarmos com excesso de optimismo a uma curva, nada de desesperar: há sistemas de apoio que podem ajudar a controlar a situação. Dos vários modos de condução disponíveis, o menos discreto e que pode fazer mais "estragos" nos pneus é o Race. Com as mudanças em modo manual e o controlo de tracção desligado envia os 612 cv às rodas traseiras. Fenomenal!



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub