Weekend O som da música

O som da música

Em colaboração com o legado de David Bowie, a Raymond Weil presta homenagem ao músico, com o Freelancer de Edição Limitada “David Bowie”, um tributo à sua vida.
O som da música
Fernando Sobral 25 de novembro de 2017 às 15:00
A paixão musical sempre esteve no coração da Raymond Weil. Por isso, as suas edições limitadas dedicadas a músicos e grupos de rock, ou a guitarras lendárias, acabam por ser objectos de colecção e de algum culto. Hoje, essa relação é visível de forma crescente, conforme novos relógios vão sendo colocados no mercado.

Se já é clássica a referência do Freelancer Les Paul Limited edition (400 exemplares), com uma caixa de 43mm para um cronógrafo mecânico de corda automática calibre RW5010, outras se têm sucedido. A fantástica guitarra Gibson, um ícone do rock, não está sozinha nestas escolhas. Outra muito sonante foi o Maestro Beatles Limited Edition, dedicada ao grupo de Liverpool, com um movimento mecânico de corda automática para uma caixa de 39,5mm. E uma das últimas surpresas foi o Freelancer David Bowie Limited Edition (3000 exemplares), com um movimento mecânico de corda automática para uma imponente caixa de 42,5mm. Três exemplos desta ligação entre a Raymond Weil e a música rock.

Nesse aspecto, é de salientar o Freelancer de edição limitada David Bowie, dedicada ao "camaleão" do rock que nos deixou há pouco tempo. É assim que, em colaboração com o legado de David Bowie, a Raymond Weil presta homenagem ao músico. O Freelancer de Edição Limitada "David Bowie" é um tributo à vida e à carreira musical de um dos artistas mais influentes de todos os tempos.

Criado para celebrar o que seria o 70.º aniversário de Bowie, este relógio é dedicado a algumas das várias personalidades criadas pelo músico. Para isso, a Raymond Weil escolheu o seu modelo de maior espírito livre, o Freelancer. A caixa com diâmetro de 42 mm contém um mostrador que se assemelha a um disco de vinil, apresentando algum dos sinais de design mais emblemáticos do artista britânico. Entre as características principais, surge o raio pintado em seu rosto que aparece inicialmente na capa do álbum "Aladdin Sane", de 1973. A marca distinta e universalmente reconhecida, o raio estilizado, destaca-se a vermelho às 12 horas. Este é um dos relógios que a marca dedica ao imaginário rock.


Choque

A Casio vai comemorar o 35.º aniversário da marca G-Shock em Abril de 2018. Pretexto para o lançamento de diversos modelos comemorativos. Um deles é a edição o lançamento da Big Bang Black, uma colecção comemorativa de quatro modelos G-Shock com uma nova cor, em preto mate. A G-Shock nasceu quase de um acaso: um engenheiro da Casio decidiu tentar desenvolver um relógio praticamente inquebrável em 1981. Rejeitando as regras do senso comum de que os relógios de pulso eram sempre frágeis e fáceis de partir, ele assumiu o desafio de provar o contrário. Após mais de 200 protótipos e um processo de desenvolvimento de dois anos, o primeiro modelo G-Shock com uma estrutura resistente ao choque foi lançado em 1983. Desde então, a marca continuou a evoluir com base no conceito da marca "Absolute Toughness".

A colecção Big Bang Black é o primeiro conjunto de modelos do 35.º aniversário e utiliza um novo tipo de preto, a cor simbólica da marca. O acabamento mate da nova cor base foi alcançado usando uma tecnologia que incorpora partículas na tinta, criando um acabamento preto plano que parece absorver toda a luz. Contrastando com o preto mate que evoca o estado de vazio antes da origem do universo, a cor dourada brilhante da parte traseira da caixa expressa a grande explosão do Big Bang. Assim, a Casio está a voltar à origem da marca. A frase "Since 1983" é exibida nos mostradores e foram também criadas embalagens especiais para realçar ainda mais esta colecção.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub