Weekend Relógio de mesa icónico

Relógio de mesa icónico

Os relógios de mesa são um verdadeiro exercício de inovação e talento nos nossos dias. O Atmos 568, fruto do trabalho da Jaeger-LeCoultre com Marc Newson, é uma obra de arte.
Relógio de mesa icónico
Atmos 568, um fruto do trabalho da Jaeger-LeCoultre com o designer Marc Newson.
Fernando Sobral 12 de Novembro de 2016 às 14:00
Os relógios de mesa não fazem só parte do passado. Também têm que ver com o presente. Porque eles são de uma beleza tão surpreendente que acabam por conseguir ser elementos de distinção num qualquer local. São verdadeiras obras-primas de precisão e beleza. Talvez por isso seja tão relevante este Atmos 568, um fruto do trabalho da Jaeger-LeCoultre com o designer Marc Newson. Esse encontro não é de agora: desde 2008 que a parceria existe e se complementa. Daí terem trabalhado desde então na reinventação do icónico Atmos, um relógio de mesa com uma memória notável. Dando-lhe assim um espírito contemporâneo.

A sua parceria com a Jaeger-LeCoultre deu origem a um objecto belo, que respira dentro de um globo em cristal Baccarat. Ou seja, é o resultado do encontro de um designer aclamado e de um relógio de mesa mítico. Este último é totalmente silencioso - a sua energia é extraída de variações de temperatura quase imperceptíveis. Nesta mais recente realização em conjunto, a forma exterior do Atmos, e de alguns de seus componentes, foi retrabalhada. Newson reduziu-a a um globo em cristal absolutamente transparente para acentuar a sua essência.

Tudo gira em torno da leveza, transparência e simplicidade. No Atmos 568 de Marc Newson o mecanismo relojoeiro parece flutuar livremente no ar, enquanto, na realidade, é mantido no lugar pela parte traseira do movimento. O seu simples mostrador foi optimizado para uma boa legibilidade. Para evitar acrescentar outros elementos, o marcador que indica o mês foi projectado para fazer parte do mostrador transparente. Assim que se consegue tirar os olhos do movimento, podemos surpreender-nos com a sofisticada elegância e pura imaterialidade da redoma que o abriga. Newson escolheu o cristal como material para este globo, que parece um cubo arredondado. Somente uma fábrica de vidro operando com a produção de cristal de vanguarda como a Baccarat dispunha do conhecimento técnico necessário. Foi preciso realizar uma pesquisa avançada para reduzir a espessura do cristal a um nível mínimo, com apenas 13 mm em algumas partes. A redoma em cristal permite que a luz atravesse o relógio que ela protege, criando, ao mesmo tempo, o seu próprio jogo de reflexos subtis, um verdadeiro prazer visual. Embora difícil de alisar e nivelar, este cristal apresenta um acabamento admiravelmente bonito. Os contornos finos do globo e a sua base mais grossa foram perfeitamente fabricados para proporcionar um efeito fluido e harmonioso. Uma base mais grossa estabiliza o relógio de mesa e sustenta a parede de vidro removível que dá acesso ao movimento. O relógio é ampliado dentro da redoma em cristal, lembrando um navio dentro de uma garrafa. Um objecto de arte.





A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub