Weekend Relógios: Clássicos e modernos

Relógios: Clássicos e modernos

O classicismo dos relógios da A. Lange & Söhne continua a ser reconhecível. E isso vê-se de forma clara nos novos Lange 1 e Lange 1 Daymatic.
Relógios: Clássicos e modernos
Fernando Sobral 31 de dezembro de 2016 às 14:00
A A. Lange & Söhne continua a ser uma das marcas que fazem do classicismo das suas propostas um verdadeiro símbolo filosófico. As suas propostas são fruto dessa linha que, com variações, se mantém constante. O que torna reconhecíveis os seus produtos.

Agora a marca apresenta-nos o Lange 1 e o seu alter-ego de corda automática, o Lange 1 Daymatic. Reflexos um do outro, como irmãos que, no meio das semelhanças, buscam o que os distingue. A comparação entre ambos leva-nos para o campo do mistério. Porque a projecção de uma imagem e a sua reflexão é enganadora. Porque subtis desvios entre os aparentemente simétricos mostradores escondem dois conceitos distintos de relojoaria.

Este é parte do mistério do Lange 1 Daymatic e do Lange 1 em ouro rosa. O Lange 1 é animado por um movimento de corda manual, enquanto o seu homólogo Lange 1 Daymatic é de carga automática. Ambos os conceitos têm os seus defensores, como se entende. O Lange1 é sobretudo apelativo para puristas que aprenderam a apreciar o ritual de proporcionar corda manual a um relógio. O Lange 1 Daymatic é mais favorecido por aficcionados pragmáticos que dão importância à conveniência. Gostam do facto de, quando puxam a manga para ver o mostrador do relógio, a primeira coisa que observam é a indicação do tempo no lado direito do mostrador - no caso daqueles que usam o relógio no pulso esquerdo, que são a maioria.

Há outra diferença entre os dois conceitos de corda. No Lange 1 de corda manual, o indicador de reserva de corda de três dias representa um objectivo muito útil. Desenhado como um indicador Up/Down típico da marca, está localizado no lado direito do mostrador entre a janela sobredimensionada característica da Lange e o submostrador dos pequenos segundos. Para um relógio automático regularmente utilizado, tal informação não é essencial porque a reserva de marcha, dependendo do nível de actividade do utilizador, manter-se-á tendencialmente entre um plano médio e elevado. Por essa razão, a data sobredimensionada do Lange 1 Daymatic foi complementada com um indicador retrógrado do dia da semana. Logo após a meia-noite, o correspondente ponteiro dá um salto. Na transição de domingo para segunda-feira, salta para o fundo para depois recomeçar a progressão diária ascensional rumo ao topo da escala.

Nos dois está presente a elegância e o equilíbrio típicos da marca. Recorde-se que estes relógios têm uma história: o Lange 1 foi apresentado pela primeira vez em 1994. Em 2015, foi apresentado com um renovado calibre de corda manual mas o seu design permaneceu intacto. O Lange 1 Daymatic juntou-se a esta família em 2010. E agora tudo os volta a unir. E a dividir.






A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Catarina Há 1 semana

Destes sim, nem no fashionoutlet.pt encontro. Relógios clássicos e elegantes. Parece-me que vai para a lista de natal do ano que vem.

pub