Weekend Renault Mégane: objecto de estilo

Renault Mégane: objecto de estilo

Com o novo Mégane, a Renault quer voltar à liderança do segmento. Argumentos: estilo moderno, nova base mecânica, interior melhorado e uma gama diversificada de motores para satisfazer a clientela.
A carregar o vídeo ...
Adriano Oliveira 09 de janeiro de 2016 às 14:14
Características

21.000€

Renault Mégane Energy TCe100, Zen

Motor: dianteiro transversal, turbo, injecção directa gasolina, 4 cil., 16 vál., intercooler, 'start/stop'
Cilindrada: 1.197cc
Potência: 101cv às 4.500rpm
Binário: 175Nm às1.500
Velocidade máxima: 179km/h
Aceleração máx.: 12,3s 0-100km/h
Tracção: dianteira
Transmissão: manual 6 velocidades
Consumo urbano: 7,0l/100km
Cons. extra-urbano: 4,4l/100km
Consumo médio: 5,4l/100km
Emissões CO2: 120g/km (Euro VI)

Outras versões:
TCe 205 EDC - 31.350€
dCi 90 - 23.200€
dCi 110 - 27.950€
dCi 130 - 29.850 e 30.400€


A quarta geração do Renault Mégane, que chega ao nosso país no final deste mês, exibe um novo estilo mais afirmativo, que corta de forma radical com o do seu antecessor. O modelo faz-se acompanhar de um conjunto de tecnologias oriundas de segmentos superiores.

Desenhado pela equipa de designers dirigida por Laurens van den Acker, o Mégane segue a nova linguagem estética da marca já patente em outros modelos.

Construído sobre a nova plataforma da Aliança Renault-Nissan, apresenta dimensões diferentes da geração anterior: com 4,359m é 6,4cm maior, 2,5cm mais baixo e beneficia de mais 28mm na distância entre eixos. A largura não varia, mas mesmo assim o habitáculo oferece mais espaço para os ocupantes do banco traseiro e na bagageira, que ganha 60 litros.

No interior, o Mégane revela um ambiente agradável, com materiais e revestimentos de qualidade. O painel de bordo tem um desenho similar ao do Talisman e é funcional. O ecrã situado na consola central tem dimensões variáveis em função dos níveis de acabamento, indo das 7 polegadas no formato horizontal até chegar ao táctil de 8,7 polegadas (22cms) disposto na vertical e dotado do sistema R-Link 2, que permite gerir as várias funções do veículo: multimédia, navegação, telefone, rádio, modos de condução, ajudas, etc.

A versão de entrada de gama está bem equipada e apresenta um preço competitivo (ver características), mas subindo nos vários níveis de acabamento (Zen, GT, GT Line e Bose Edition), é possível beneficiar de um verdadeiro arsenal de sistemas que melhoram o conforto e a segurança, como é o caso do alerta de excesso de velocidade com reconhecimento dos sinais de trânsito, o regulador de velocidade adaptativo, a comutação automática dos máximos/médios e o estacionamento em mãos-livres.

Sob o capot, o novo modelo retoma motores já disponíveis na gama, a saber: quatro a Diesel (o 1.5 litros de 90 e 110cv e o 1.6 litros de 130 e 165cv) e três a gasolina (o 1.2 litros de 100 e 130cv e o 1.6 de 205cv). Os dois mais potentes estão reservados para as versões GT e têm acoplado caixa automática de dupla embraiagem de 6 velocidades no Diesel e de 7 relações no gasolina. Os outros blocos têm caixa manual de 6 velocidades.

A variante Mégane GT, que repesca detalhes da Renault Sport, vem dotada do chassis 4Control com rodas direccionais e oferece tecnologias exclusivas como o "Launch Control" (arranque parado), e o "Multi-Change Down", que permite uma múltipla redução acelerada.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub