Automóveis Renault ZOE Z.E. 40: Autonomia real de 300 km

Renault ZOE Z.E. 40: Autonomia real de 300 km

Graças a uma nova bateria com maior capacidade de armazenamento de energia, a autonomia real do citadino eléctrico Renault ZOE Z.E. 40 aumentou para os 300 km!
Adriano Oliveira 07 de Janeiro de 2017 às 15:00
Características

29.450€

Renault ZOE Z.E. 40 Bose Flex

Motor eléctrico: síncrono, dianteiro transversal, 400 V tensão
Potência: 92 cv (3.000-5.000 rpm)
Binário: 225 Nm às 3.000 rpm
Velocidade máxima: 135 km/h
Aceleração: 13,2s 0-100km/h
Bateria: iões lítio, central, 41 kWh
Tracção: dianteira
Transmissão: automático, 1 velocid.
Consumo: 133 Wh/km
Emissões CO2: zero

Outros preços Z.E. 40 (400 km de autonomia NEDC):
- Life Flex 24.650€
- Life 32.150€
- Intens Flex 26.650€
- Intens 34.150€
- Bose 36.950€

Preços ZOE (240 km de autonomia NEDC):
- Life Flex 22.150€
- Life 29.650€


Três anos depois do lançamento da primeira geração do seu citadino eléctrico ZOE, o construtor francês Renault voltou a Portugal para apresentar a variante Z.E. 40 com praticamente o dobro da autonomia do seu antecessor - 400 km no ciclo NEDC (novo método de controlo dos consumos nos veículos na Europa), ou 300 km em condições normais de utilização urbana e extra-urbana - o que permite encarar a mobilidade eléctrica de outra forma.

A maior autonomia do Renault ZOE Z.E. 40 deve-se a uma nova bateria que fornece uma energia de 41 kWh úteis, quase o dobro da capacidade de armazenamento da bateria tradicional de 22 kWh úteis.

Graças a esta bateria de 41 KWh, o ZOE torna-se mais interessante, já que pode percorrer com uma só carga distâncias duas vezes mais longas. Permite, por exemplo, efectuar uma viagem entre Lisboa e o Algarve, sem que o condutor tenha de se preocupar com o recarregamento da bateria durante o trajecto.

Esta operação começa, no entanto, a ficar mais facilitada com a expansão da rede pública da Mobi.e a todo o País. A partir já deste trimestre, os carregamentos nos postos públicos passam a ser pagos.

Tal como o actual ZOE de 22 kWh, que se manterá em comercialização, o novo Z.E. 40 beneficia de um carregador inteligente "Cameléon", que se adapta aos diferentes postos de carga, onde é possível recuperar em apenas 30 minutos uma autonomia de 80 km.

Para simplificar as operações de carga, a Renault desenvolveu duas aplicações - a Z.E. Trip e o Z.E. Pass - que identificam os postos de carregamento livres através do sistema de navegação do ZOE, e facilitam o carregamento nos postos europeus.

Esteticamente, a variante ZOE Z.E. 40 mantém a mesma silhueta do ZOE, mas evolui nos níveis de acabamento. No topo da gama, a edição exclusiva "Bose" propõe estofos em pele, jantes de 16 polegadas, bancos aquecidos e um sistema de áudio da marca "Bose".

Muito agradável de conduzir, o ZOE oferece acelerações suaves e perfeitamente lineares. É muito silencioso, tanto no interior como no exterior, o que requer alguns cuidados especiais, por exemplo, com peões e ciclistas.

O ZOE Z.E. 40 está à venda com aluguer da bateria (solução Flex) por 69 euros/mês (km fixos), ou 119 euros/mês (quilometragem ilimitada), o que diminui o preço final.

Por 3.500 euros, a bateria dos actuais ZOE pode ser trocada pela nova Z.E. 40.



Destaques

Mais de 100 mil veículos eléctricos Renault circulam já na Europa. O ZOE é o mais vendido no espaço europeu.

Tempo de recarregamento aumentou
Com o reforço da capacidade da bateria aumentou também o tempo para o recarregamento. Numa tomada doméstica (10A) são precisas 25 horas para chegar aos 100 por cento. A carga rápida num ponto de 43kW demora 1h40 ou 2h40 num de 22kW.

Mais e melhores células
A bateria de 41 kWh do Z.E. 40 possui - tal como a bateria de 22 kWh - 192 células distribuídas por 12 módulos, mas armazena 2 vezes mais energia, graças à melhoria da química das células e ao aumento da sua substância activa. Tem o mesmo tamanho e pesa 305 kg.






A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub