Weekend Virgolino Faneca envia notas da semana para Reiquiavique

Virgolino Faneca envia notas da semana para Reiquiavique

João anda por Reiquiavique a tirar um curso intensivo de curling. Para cobrir o défice de informação provocado pela distância, Virgolino Faneca enviou-lhe umas notas da semana com um "petit pourri" dos temas mais relevantes cá do burgo.
Virgolino Faneca envia notas da semana para Reiquiavique
Celso Filipe 20 de janeiro de 2017 às 17:00
Estimado João

Espero que estejas bem aí em Reiquiavique. Essa tua ideia de tirar um curso de treinador de curling foi brilhante e poderá ser decisiva para implantar esta vibrante modalidade em Portugal. Durante esta tua emigração temporária, vou dando notícias do burgo, tal como prometi, para que não percas o apego à terra. E vou fazê-lo inspirando-me no modelo Notas da Semana, celebrizado por Marques Mendes, porque permite fazer um "petit pourri" de temas relevantes. Aliás, começo este arrazoado precisamente por uma nota do próprio.

1. Marques Mendes disse que Passos Coelho era um cata-vento pela forma como se comporta em relação à TSU.
a) Ora, houve muita e boa gente no PSD que chamava cata-vento a Marcelo Rebelo de Sousa, invocando esta característica para não apoiar a sua candidatura presidencial;
b) Por outro lado, é sabido que Marques Mendes pertence ao Conselho de Estado;
c) E também ninguém tem dúvidas de que o Presidente Marcelo não morre de amores por Passos;
d) Dito isto, impõe-se a pergunta: será que Marques Mendes falou com Marcelo Rebelo de Sousa sobre cata-ventos antes da sua prédica semanal ou tratou-se de um simples coincidência?
Ou seja, está aqui um grande caldinho, com condimentos para se transformar numa deliciosa "vichyssoise".

2. António Costa acusou Passos Coelho de dar uma enorme cambalhota, ainda e sempre por causa da TSU.

a) O primeiro-ministro parece estar a querer levar a discussão para o território da ginástica artística;
b) Esta observação indica que António Costa tem treinado muito com a geringonça, especialmente os flique-flaques à retaguarda;
c) Deste ponto de vista, Passos vai ter de começar a exercitar-se no cavalo com arções, para não cair com os coices que vêm de todos os lados.
É crível que, à luz desta nova arena do combate político, o Ginásio Clube de Portugal passe a ser frequentado por políticos, ansiosos por aprender a fazer o Cristo nas argolas ou saltos mortais encarpados, até porque as autárquicas estão à porta.

3. O Sporting foi eliminado da Taça de Portugal, o que deixou o presidente do clube, o treinador e os jogadores em maus lençóis.

a) Não tendo sido culpa do Benfica, o resultado só pode ter sido fruto de uma péssima arbitragem;
b) No entanto, dizem-me que a arbitragem não pode ser para aqui chamada porque foi impoluta, o que nos deixa perante uma culpa órfã;
c) Para resolver este imbróglio e dar um pai à culpa existe uma alternativa credível, responsabilizar os adeptos por não apoiarem suficientemente o clube;
d) Contudo, se isso gerar um azedume desnecessário, a alternativa poderá passar por culpar o director de comunicação, argumentando que comunica mal no Facebook porque escreve "posts" muito longos;
Concluindo-se pela inexequibilidade destas alternativas, proponho a Bruno de Carvalho e Jorge Jesus que projectem o futuro, garantindo aos adeptos que em 2017/2018 é que o Sporting vai ganhar tudo.

4. Marcelo Rebelo de Sousa telefonou a Donald Trump e lembrou-lhe que Portugal foi o primeiro país a reconhecer os Estados Unidos como nação. O Presidente eleito dos EUA revelou ao seu homólogo português a intenção de construir um muro na base das Lajes.
a) À primeira vista, esta decisão pode ser interpretada como um claro menosprezo de Portugal;
b) Contudo, é preciso ir mais longe e ver que há, nesta iniciativa, pressupostos positivos;
c) A começar pela dinamização da indústria da construção na ilha Terceira;
d) E terminando na possibilidade de promover concursos internacionais de grafítis, circunstância que trará muitos turistas à ilha.
Ou seja, Donald Trump atribui a Portugal a mesma relevância que ao México, o que nos coloca numa posição altaneira em termos de política internacional.

E pronto, João. Na próxima epístola haverá mais Notas da Semana, ou talvez não.
Com um abraço deste que te estima,
 

 

Virgolino Faneca


Quem é Virgolino Faneca

Virgolino Faneca é filho de peixeiro (Faneca é alcunha e não apelido) e de uma mulher apaixonada pelos segredos da semiótica textual. Tem 48 anos e é licenciado em Filologia pela Universidade de Paris, pequena localidade no Texas, onde Wim Wenders filmou. É um "vasco pulidiano" assumido e baseia as suas análises no azedo sofisma: se é bom, não existe ou nunca deveria ter existido. Dele disse, embora sem o ler, Pacheco Pereira: "É dotado de um pensamento estruturante e uma só opinião sua vale mais do que a obra completa de Nuno Rogeiro". É presença constante nos "Prós e Contras" da RTP1. Fica na última fila para lhe ser mais fácil ir à rua fumar e meditar. Sobre o quê? Boa pergunta, a que nem o próprio sabe responder. Só sabe que os seus escritos vão mudar a política em Portugal. Provavelmente para o rés-do-chão esquerdo, onde vive a menina Clotilde, a sua grande paixão. O seu propósito é informar epistolarmente familiares, amigos, emigrantes, imigrantes, desconhecidos e extraterrestres, do que se passa em Portugal e no mundo. Coisa pouca, portanto.







A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub