Weekend Virgolino Faneca usa a astrologia para indicar o caminho aos políticos

Virgolino Faneca usa a astrologia para indicar o caminho aos políticos

Virgolino Faneca escreve a Felício para lhe dar conta dos resultados obtidos na análise das estrelas após ter tirado um curso de astrologia por correspondência. Os políticos portugueses é que ficam a ganhar.
Virgolino Faneca usa a astrologia para indicar o caminho aos políticos
Celso Filipe 04 de Novembro de 2016 às 17:00
Caro Felício

Após ter tirado um curso por correspondência de astrologia, fiquei totalmente convencido de que esta ciência é a única capaz de guiar Portugal pelo caminho das estrelas, evitando as chuvas de meteoritos que tanto têm prejudicado o nosso país. E esta conclusão não é uma mera figura de estilo, mas antes um juízo de facto baseado na observação da constelação Chamaeleon, a qual tem quatro estrelas brilhantes, mas que contém em si uma nebulosa planetária, circunstância que gera afinidades entre o cósmico celestial e este rectângulo à beira-mar plantado.
Partindo desta base, resolvi elaborar as cartas astrológicas dos nossos líderes políticos, dando-lhes assim preciosas indicações sobre o caminho a seguir para evitarem pedras nos rins, maus-olhados, gripes e outras maleitas, e também para terem sucesso na sua actividade profissional. Portanto, aqui vai, para que saibas que eu não ando a perder o meu tempo com coisas estultas:

ANTÓNIO COSTA
Caranguejo
É manter o rumo. As pessoas têm a sensação de que está a fazer o seu caminho, embora esteja sempre a andar de lado. Trata-se de um bom indicador para evitar os bicos de papagaio e também a tomada de decisões. Cuidado com as finanças. Não delibere de forma precipitada, limitando-se à opinião de uma única pessoa, mesmo que seja o ministro das Finanças. Peça opinião a banqueiros experimentados como o Armando Vara.

PASSOS COELHO
Leão
Deve tomar a iniciativa de encontrar novos amigos e romper com o passado, o qual lhe está a provocar dolorosas inquietações e pode conduzir a ataques biliares. Pertencendo ao elemento fogo, corre o risco de se queimar lentamente, se não apagar dos seus contactos telefónicos os números de certas e determinadas pessoas. Precisa de aprimorar os dotes que tem nas artes cénicas, pedindo ajuda a quem sabe, por exemplo, àquele senhor que todos os domingos aparece na televisão.

ASSUNÇÃO CRISTAS
Balança
A mulher balança é por natureza muito romântica e talvez seja por isso que aceitou ser líder do PP. Está na altura de se manter fiel às suas convicções e colocar de lado os rancores. A iniciativa de se candidatar à Câmara de Lisboa é meritória porque a coloca na calha para ser madrinha de uma das marchas populares. Evite os fritos e contrate um Uber. É mais fino ser o partido do Uber do que o partido do táxi e isso corresponderia a um corte epistemológico com o passado, personificado em Paulo Portas.

CATARINA MARTINS
Virgem
Regido pelo planeta Mercúrio, o nativo deste signo tem a particularidade de gostar de tirar a temperatura à vida política nacional. Catarina deve ter em conta que a representação, por si, não é uma garantia de ultrapassagem dos obstáculos. Precisa de ser prática, evitando cair em especulações ou fantasias como a de ser membro de um Governo. Necessita ainda de ter cuidado com os açúcares que, como se sabe, provocam gordura corporal e, como se sabe, a mania das grandezas é a maior das fraquezas.

JERÓNIMO DE SOUSA
Carneiro
O secretário-geral do PCP é o expoente dos nativos deste signo. É capaz de morrer, metaforicamente falando, pelas ideias que defende. Sendo bom dançarino, deve apostar em ensinar esta arte da sedução aos militantes comunistas, porque aprender coisas novas é sempre bom para arejar as ideias. Cuidado com a coluna, em particular com o disco C1, onde estão gravadas máximas como "é urgente uma ruptura com as políticas de direita", porque nunca se sabe quando voltarão a ser precisas. Por uma questão de prudência, deve avisar o Miguel Urbano Rodrigues que o muro de Berlim já caiu.


Diz-me de tua justiça. Felício: achas que estou a contribuir para o equilíbrio cósmico da política à portuguesa?

Subscrevo-me, como um enorme amplexo,

Virgolino Faneca

Quem é Virgolino FanecaVirgolino Faneca é filho de peixeiro (Faneca é alcunha e não apelido) e de uma mulher apaixonada pelos segredos da semiótica textual. Tem 48 anos e é licenciado em Filologia pela Universidade de Paris, pequena localidade no Texas, onde Wim Wenders filmou. É um "vasco pulidiano" assumido e baseia as suas análises no azedo sofisma: se é bom, não existe ou nunca deveria ter existido. Dele disse, embora sem o ler, Pacheco Pereira: "É dotado de um pensamento estruturante e uma só opinião sua vale mais do que a obra completa de Nuno Rogeiro". É presença constante nos "Prós e Contras" da RTP1. Fica na última fila para lhe ser mais fácil ir à rua fumar e meditar. Sobre o quê? Boa pergunta, a que nem o próprio sabe responder. Só sabe que os seus escritos vão mudar a política em Portugal. Provavelmente para o rés-do-chão esquerdo, onde vive a menina Clotilde, a sua grande paixão. O seu propósito é informar epistolarmente familiares, amigos, emigrantes, imigrantes, desconhecidos e extraterrestres, do que se passa em Portugal e no mundo. Coisa pouca, portanto.





A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
joaoaviador Há 18 horas

Á faneca!

pub
pub
pub
pub