C-Studio Acesso igual à informação amplia preferência por corretores online
C-Studio i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Acesso igual à informação amplia preferência por corretores online

O crescimento dos “brokers” online, que apenas executam ordens, advém em muito do acesso à informação disponibilizada aos investidores. É um dos trunfos do sucesso da DEGIRO, na rota para se tornar a maior corretora mundial a retalho.
Acesso igual à informação amplia preferência por corretores online

Com mais de 100 mil clientes, que processam 30 mil milhões de euros em transacções nos mercados mundiais, a corretora de origem holandesa considera que o seu rápido sucesso se deve em muito à disponibilização de informação aos investidores.

 

Se a escolha de um "broker" por parte de um qualquer investidor é um momento-chave, com a vasta oferta no mercado, "há sempre que obter resposta à questão ‘preciso ou não de aconselhamento para investir?’", considera Guilherme Pinto, director de negócio da DEGIRO para Portugal.

 

A opção será então entre um corretor que apenas executa as ordens do investidor e outro que oferece aconselhamento. "No caso da primeira opção, há que saber quando, onde e no que se pretende investir e negociar por si, sendo que, na segunda situação, é prestada uma orientação", explica Guilherme Pinto.

 

Sucede que, "os custos dos serviços com aconselhamento são normalmente consideráveis". Logo, a escolha acertada para muitos investidores passa por fazerem por si as suas escolhas e aplicações. Assim, disponham da mesma informação sobre os mercados, que qualquer "broker" tem à sua disposição.

 

Século XXI

 

Para Guilherme Pinto, a qualidade dos serviços de corretagem online está mesmo a superar a actividade executada de forma tradicional, em muito dada a disponibilidade de acesso à informação necessária por parte dos investidores.

 

"Estamos no século XXI. A maioria das pessoas tem acesso a um computador e a uma rápida ligação à internet", considera Guilherme Pinto, para quem, estas facilidades tecnológicas permitem "ultrapassar a já desaparecida assimetria de informação entre o cliente e o corretor face aos produtos financeiros".

 

Desta forma, ao não recorrer a um corretor que disponibilize aconselhamento, o investidor precisa de "ferramentas para fazer os seus investimentos de forma informada". Razão por que, a esse nível, a DEGIRO "oferece plataformas próprias, na web e em mobile, que permitem uma rápida adaptação às necessidades e vontade dos clientes".

 

A possibilidade de qualquer investidor poder ter informação "detalhada tendo em conta os investimentos que pretende fazer" tem sido um dos pontos-chave da preferência dada às corretoras online. Em que a DEGIRO tem vindo a assumir a liderança, dadas as comissões mais baixas e a infra-estrutura rápida e directa de negociação.

 

"Fees"

 

Até em Portugal, onde a DEGIRO opera desde 2014, o seu rápido crescimento no mercado atesta que a confiança dos investidores não tem sido abalada pela relação exclusivamente online.

 

Guilherme Pinto justifica essa confiança com "a qualidade na execução da negociação em mercado". Para o chefe de negócio da DEGIRO em Portugal, com "a simplicidade de acessos e de estrutura" existentes e que a corretora holandesa oferece, "um ‘broker’ consegue disponibilizar ordens de execução rápidas no mercado nacional e nos internacionais".

cotacao "Em média, a DEGIRO é 84% mais barata do que os outros intermediários financeiros." Guilherme Pinto

Além da prontidão na execução, a corretora holandesa tem também marcado posição, em Portugal e nos 17 países onde já opera, por via das comissões praticadas, por regra muito reduzidas face aos concorrentes.

 

Um investidor deve "verificar as chamadas ‘fees’ escondidas, o que inclui as de manutenção e de custódia, pagas apenas para se guardar o portefólio", lembra Guilherme Pinto.

 

No mercado nacional, "em média, a DEGIRO é 84% mais barata do que os outros intermediários financeiros", sustenta Guilherme Pinto, lembrando que na Euronext "cobra apenas 0,50€ + 0,04% do valor da transacção", sem "aplicar ‘fees’ de manutenção e de custódia".

 

Segurança

 

A capacidade de se poder operar em qualquer praça é outro dos fortes atractivos associados à negociação online. Guilherme Pinto sustenta que "os investidores devem ter a possibilidade de aproveitar os benefícios de transaccionar em mercados de capitais em todo o mundo".

 

Assim, as vantagens são sempre maiores face a "’brokers’ que disponibilizam um número limitado de transacções. Isso limita severamente a liberdade de escolha e a possibilidade do investidor de diversificar o seu portefólio de títulos".

 

Por outro lado, para vencer o receio face à segurança da negociação online, que pode ser um entrave para a adesão dos investidores, a "legitimidade é muito importante", reconhece Guilherme Pinto, lembrando que "os ‘brokers’ devem cumprir as leis dos seus países de origem e de todos os outros onde oferecem os seus serviços".

 

No caso da DEGIRO, é regulada pela Autoridade Financeira para os Mercados da Holanda (AFM) e opera sob a supervisão prudencial do Banco Central Holandês (DNB), estando necessariamente registada na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), em Portugal.

 

Quanto a questões de segurança, acresce que a DEGIRO segrega os investimentos dos clientes na totalidade, mantendo-os numa entidade de custódia separada.

 

Os activos dos clientes ficam assim fora do grupo a que a corretora pertence, sendo administrados e salvaguardados pela entidade de custódia que a tal se dedica em exclusivo. Em qualquer situação de ruptura, há assim a garantia de que os fundos dos clientes ser-lhes-ão devolvidos.

Partilhar

Marketing Automation certified by E-GOI