Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Filipe González: "Toda a gente sabe que Espanha não vai reduzir o défice"

O ex-chefe do governo espanhol diz que a solução para a crise do euro passa por federalizar a União Europeia.

Carla Pedro cpedro@negocios.pt 27 de Julho de 2012 às 13:08
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...
Filipe González, que foi primeiro-ministro de Espanha pelo PSOE, disse ontem no México que não tem quaisquer dúvidas de que o país não conseguirá fechar o ano com um défice de 6,3%. “Toda a gente sabe que Espanha não vai cumprir o objectivo”, declarou González, citado pelo “El País”.

De acordo com o jornal espanhol, González criticou directamente “os talibãs do banco central alemão” [foi como se referiu ao Banco Central Europeu] e advertiu-os para o facto de que “aquilo que não cresce, não paga, e aquilo que morre paga ainda menos”. Isto numa alusão à pressão que está a ser exercida sobre países como Espanha ou Grécia, sublinha o “El País”.

González considera que a Europa vive uma “situação limite”, que poderá arrastar-se por muitos anos, sendo preciso avançar com um processo de federalização da União Europeia que inclua uma política económica e orçamental que acompanhe a política monetária.

Na sua opinião, esse processo deverá fazer com que o BCE deixe de ser um credor de último recurso e possa intervir nos mercados para travar os movimentos especulativos, salienta a mesma fonte.

O ex-presidente do governo espanhol alertou ainda para o facto de a Europa estar a caminho de imitar a chamada década perdida da América Latina nos anos 80. “Não vejo a resposta da Europa (…). Ou caminha para a federalização, ou desfaz o que já fez até agora, ou continuará a arrastar-se sem tomar decisões”, comentou.

González foi secretário-geral do PSOE de 1974 a 1997, tendo sido chefe do governo espanhol durante 13 anos e meio.
Ver comentários
Saber mais Espanha Filipe González
Outras Notícias