Ajuda Externa Grécia aprova legislação para receber nova parcela de ajuda financeira

Grécia aprova legislação para receber nova parcela de ajuda financeira

Primeiro-ministro Antonis Samaras expulsa do partido o deputado Kaklamanis por ter votado contra uma das reformas.
Grécia aprova legislação para receber nova parcela de ajuda financeira
Carla Pedro 31 de março de 2014 às 00:50

O Parlamento grego aprovou no domingo um pacote de reformas estruturais que visam a implementação de medidas que permitirão ao país receber uma nova tranche de ajuda financeira por parte dos seus credores.

 

Esta legislação inclui a regulação do processo de recapitalização dos bancos gregos, a distribuição de benefícios sociais a partir de excedentes orçamentais do país e também o levantamento de algumas restrições ao mercado de bens e serviços, refere a Bloomberg.

 

O primeiro artigo, que abrange as controversas reformas no sector do leite (baseadas na perspectiva da OCDE para melhorar a concorrência no país), foi aprovada por 152 votos a favor e 135 contra no Parlamento – composto por 300 deputados.

 

O segundo artigo, onde se incluem as reformas na banca, foi aprovado por 151 votos a favor e 136 contra.

 

O Governo grego conseguiu assim assegurar votos suficientes para aprovar a lei das reformas exigidas pelos seus credores internacionais para disponibilizarem a próxima tranche de ajuda, no valor de 8,5 mil milhões de euros (do total de 172 mil milhões do segundo resgate) - o que permitirá que a Grécia não entre em incumprimento, já que poderá reembolsar os 9,3 mil milhões de euros de encargos da dívida que vence em Maio.

 

Estas medidas tinham sido acordadas em inícios de Março com a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional, após mais de seis meses de negociações, recorda a Reuters.

 

O Executivo queria ter esta legislação aprovada antes da reunião informal dos ministros das Finanças da União Europeia e de banqueiros centrais, em Atenas, dias 1 e 2 de Abril.

 

Expulsão no partido de Samaras

 

O deputado Nikitas Kaklamanis, do partido do primeiro-ministro Samaras, votou contra o primeiro artigo, o que lhe valeu a expulsão do Nova Democracia.

 

Com esta expulsão, a maioria do governo de coligação é agora, assim, de apenas dois assentos.

 

O outro partido no poder, o socialista PASOK liderado por Evangelos Venizelos, também viu dois dos seus deputados a discordarem das orientações. Um deles absteve-se de votar e outro votou contra um dos artigos, mas nenhum dos dois foi expulso.

 

(notícia actualizada à 01h51)




Marketing Automation certified by E-GOI