Ajuda Externa Paulo Portas: Pedir o resgate em 2011 foi “vexatório e humilhante” para Portugal

Paulo Portas: Pedir o resgate em 2011 foi “vexatório e humilhante” para Portugal

Paulo Portas lamentou a situação a que o País chegou para ter de pedir assistência financeira, em 2011, lançando críticas ao anterior Governo.
Paulo Portas: Pedir o resgate em 2011 foi “vexatório e humilhante” para Portugal
Miguel Baltazar
Bruno Simões 01 de março de 2013 às 12:54

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros começou a sua intervenção do debate de urgência do PS a vincular os socialistas à situação actual. “Já aqui não está o primeiro-ministro que nos conduziu, há menos de dois anos, a este descalabro. Mas está o partido que nos levou ao resgate”, sublinhou. “É esse partido que proclama hoje uma alternativa para sair da crise. Tomara que as coisas fossem tão simples ou simplistas. O PS sabe que não são”, atirou.

 

“Em Abril de 2011, Portugal foi obrigado a pedir ajuda externa”, o que aconteceu porque o País estava à beira da catástrofe. “Foi um momento vexatório e humilhante para um povo respeitado em todo o mundo” e para um país que, na Europa, tem as fronteiras mais antigas.

 

“Aconteceu à nossa geração ter de gerir essa situação, q só é suportável na exacta medida em que for transitória. O único objectivo que deve prevalecer é pensar como trabalhar” para que os sacrifícios “terminem o mais cedo possível”, destacou Paulo Portas, que aproveitou para “picar” o Bloco de Esquerda. “Uma coisa é o Bloco gostar de ser o Syriza, outra é os portugueses gostarem de ser parecidos com os gregos”.




Marketing Automation certified by E-GOI