Ajuda Externa Silva Lopes: “Acordo da troika tem sido um falhanço completo”

Silva Lopes: “Acordo da troika tem sido um falhanço completo”

Economista critica o entusiasmo gerado em torno dos números do desemprego e das exportações e defende que as políticas de austeridade não conduziram Portugal a lado nenhum.
A carregar o vídeo ...
Rita Faria 12 de novembro de 2013 às 12:04

Silva Lopes, antigo ministro das Finanças, defendeu esta terça-feira que o acordo assinado entre Portugal e os parceiros internacionais “tem sido um falhanço” porque, entre outras razões, “tivemos sempre défices orçamentais superiores ao programado” e o crescimento económico “foi sempre mais baixo”

 

“É um ciclo vicioso de austeridade. O governo e a troika não querem reconhecer esse ciclo vicioso, e é quase certo que vai continuar a funcionar em 2014”, disse o economista, na Conferência Anual da Ordem dos Economistas. Silva Lopes acredita que Portugal não vai atingir os objectivos previstos para o próximo ano. 

 

Com este orçamento, “o PIB vai descer a menos que não se cumpram os 4% de défice em 2014, e era melhor que não fosse cumprido. A ideia que vamos crescer e estamos num período de euforia é bastante exagerada”, acrescentou.

 

Silva Lopes considera que os portugueses estão a “embarcar numa grande euforia” em relação à descida do desemprego e ao aumento das exportações” e confessa-se “céptico” acerca dos números. O economista explica que o aumento das exportações se deve sobretudo ao petróleo, e que esse crescimento “não resolve muito os problemas nacionais”.

 

Quanto ao desemprego, confessa, “fico pasmado em se ter festejado”, já que acredita que a descida do desemprego deve-se sobretudo ao aumento do número de portugueses que “foram procurar trabalho lá fora”.

 

Uma das vantagens da presença da troika em Portugal, segundo o economista, foi a imposição de “alguma ordem” nas contas públicas que “sempre foram a fraude mais inconcebível que se pode imaginar”.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI