Autarquias Câmara de Lisboa cria manual de boas práticas para obras em bairros históricos

Câmara de Lisboa cria manual de boas práticas para obras em bairros históricos

A Câmara de Lisboa está a realizar um "manual de boas práticas para as obras que se fazem" nos bairros Azul, das Colónias e Lopes, informou o vereador do Urbanismo.
Câmara de Lisboa cria manual de boas práticas para obras em bairros históricos
Miguel Baltazar
Lusa 04 de setembro de 2014 às 23:57

Estes bairros característicos da cidade de Lisboa têm em comum o facto de terem sido construídos na primeira metade do século passado e, por isso, apresentam "características próprias e uma grande unidade do ponto de vista arquitectónico e urbanístico", explicou Manuel Salgado.

 

O autarca falava aos jornalistas no final da apresentação do Salão Imobiliário de Portugal, que decorre entre 8 e 12 de Outubro na Feira Internacional de Lisboa. "Estamos a fazer este manual de boas práticas, que no fundo orienta os proprietários e os promotores no sentido de como fazerem reabilitação", acrescentou o também responsável pela pasta da Reabilitação Urbana, sublinhando que o objectivo é preservar as características históricas.

 

Elementos do movimento cívico Fórum Cidadania Lx enviaram na segunda-feira uma carta à Câmara de Lisboa, endereçada a Manuel Salgado, exigindo a criação de um regulamento para o Bairro Azul, classificado em 2009 como Conjunto de Interesse Municipal, de forma a preservar a arquitectura e os seus elementos técnicos e decorativos.

 

Manuel Salgado referiu que para criar esse regulamento teria de ser feito um novo plano de pormenor para a zona, pelo que a autarquia optou pelo manual.

 

O grupo alertou hoje, através uma missiva com o mesmo destinatário, sobre o facto de a freguesia das Avenidas Novas ser "uma das áreas críticas [da cidade], área onde se estima terem desaparecido 40% a 60% do seu património de finais do século XIX, princípios do XX", e salientou a "necessidade urgente" de o município proceder à intimação para obras de conservação e recuperação em 21 edifícios emblemáticos.

 

Manuel Salgado divulgou hoje que a autarquia tem também a "intenção de dar um grande impulso à Avenida Fontes Pereira de Melo", situada na freguesia das Avenidas Novas.

 

O autarca apontou que nessa avenida existem "situações por resolver", uma delas na esquina da Avenida António Augusto Aguiar, relativa a um edifício que foi demolido e está vazio. Neste último caso, há um pedido de intervenção prévia (PIP) que está a ser avaliado. "Quem sobe em direcção ao Saldanha, há três edifícios do lado direito que têm arte urbana, [sobre os quais há] intenções de investimento pertences a uma instituição financeira", disse. "E um pouco mais à frente, na esquina da Avenida 5 de Outubro com a Avenida Fontes Pereira de Melo, também um edifício que está abandonado", apontou, explicando que o imóvel tem a fachada em ruína há mais de 40 anos. "Há um PIP que está neste momento na Direcção-Geral do Património para ser aprovado", adiantou.

 

Manuel Salgado revelou ainda que a Câmara de Lisboa tem previstas duas intervenções do espaço público em Picoas e na Praça do Saldanha. Segundo o vereador do Urbanismo, estas intervenções são "muito marcantes no eixo central de Lisboa".




Saber mais e Alertas
pub