Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Câmara do Porto quer vender Edifício Transparente

A Câmara Municipal do Porto vai discutir, na próxima reunião do executivo, a alienação do chamado Edifício Transparente, avaliado em 7,96 milhões de euros.

Paulo Duarte/Negócios
Lusa 14 de Julho de 2016 às 20:58
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A proposta assinada pela vice-presidente da autarquia, Guilhermina Rego, a que a Lusa teve acesso, recorda que o edifício "encontra-se actualmente ocupado, decorrente do protocolo de transferência outorgado em 15/11/2005 entre a Casa da Música/Porto 2001, S.A. e o Município do Porto, tendo o Município assumido a posição contratual do contrato de exploração do Edifício Transparente", o que tem como consequência que o eventual futuro proprietário venha a assumir as obrigações inerentes à propriedade do imóvel.

 

Segundo a avaliação, datada de Junho, feita pela CCPRAFE, os 7,96 milhões de euros incluem já a indemnização a ser prestada ao actual arrendatário (com quem existe um contrato vigente até 2024) de 1,6 milhões de euros, de maneira a que seja possível colocar "no mercado imobiliário o edifício livre de qualquer ónus".

 

A proposta, que terá também que ser discutida em Assembleia Municipal, salienta que "será da responsabilidade do adquirente a manutenção e conservação do viaduto pedonal a nascente do Edifício Transparente, bem como as regras de utilização e uso" e que "estará em curso um Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC), que poderá introduzir alterações a zona".

 

O Edifício Transparente tem, como reconhece a própria avaliação, "seguramente (...) a melhor localização e qualidade ambiental" do Porto.

 

O imóvel conta com quatro pisos, com vários acessos, num total de 7.189 metros quadrados de área, estando 4.163 dos quais ocupados com comércio.

Ver comentários
Saber mais Edifício Transparente Porto Casa da Música Guilhermina Rego CCPRAFE Assembleia Municipal Plano de Ordenamento da Orla Costeira política
Mais lidas
Outras Notícias