Autarquias Ruas deu cheques no adro da igreja

Ruas deu cheques no adro da igreja

A campanha eleitoral em Viseu foi marcada por uma forte polémica nesta terça-feira: PS e CDS acusaram Fernando Ruas de fazer campanha pelo PSD nas últimas semanas, através da distribuição de dinheiro em duas missas diferentes. Numa delas, na paróquia do Viso, Ruas teria mesmo falado aos fiéis durante a eucaristia. Ao Negócios, o padre do Viso confirmou que, antes da missa começar, o presidente da câmara entregou um cheque de 50 mil euros, mas negou que tenha falado durante a eucaristia.
Ruas deu cheques no adro da igreja
Miguel Baltazar/Negócios
Bruno Simões 20 de agosto de 2013 às 22:05

"Foi um acto público de caciquismo ao melhor estilo", criticou Hélder Amaral, candidato do CDS à câmara de Viseu. "Não lhe fica bem estar a esturricar dezenas milhares de euros", declarou, por seu turno, José Junqueiro, igualmente pretendente da câmara, mas pelo PS. Os dois partidos acusaram, esta terça-feira, o presidente da câmara de atribuir subsídios às paróquias durante as missas.

"É mentira, não fez nenhum anúncio na missa", assegurou Armando Esteves, o pároco do Viso. "Foi apenas assinado um protocolo de 50 mil euros, fora da missa, na zona do adro", descreveu ao Negócios. "Fernando Ruas entregou um cheque à paróquia", há cerca de um mês.

Na paróquia de São João de Lourosa, no último domingo, o procedimento terá sido semelhante. Fernando Ruas assinou um protocolo e entregou um cheque à paróquia, de cerca de sete mil euros.

O autarca confirmou ao Negócios as entregas dos cheques e recusa que tenha sido uma acção de campanha. "Fui fazer aquilo que sempre fiz em 24 anos, que é apoiar as comissões fabriqueiras [entidades que gerem os bens da igreja]. Fui a mais que uma e vou continuar", assegura. O facto de as assinaturas e entregas dos cheques acontecerem antes ou depois das missas é por "uma questão de conveniência" dos padres, justifica.




Saber mais e Alertas
pub