Conjuntura Défice externo cresce quatro vezes até Maio

Défice externo cresce quatro vezes até Maio

O défice externo português disparou nos primeiros cinco meses, tendo quadruplicado face ao mesmo período do ano passado. A justificar a evolução esteve a deterioração da balança corrente e a queda do excedente da balança de capital.
Défice externo cresce quatro vezes até Maio
Bruno Simão
Sara Antunes 20 de julho de 2016 às 12:44

Portugal fechou Maio com um saldo acumulado da balança corrente e de capital no valor de -866 milhões de euros, o que compara com os -175 milhões de euros registados nos primeiros cinco meses de 2015, revelam os dados divulgados esta quarta-feira, 20 de Julho, pelo Banco de Portugal.

 

A contribuir para este agravamento do défice externo de Portugal esteve o aumento do défice da balança corrente, que passou de 977 milhões de euros para 1,25 mil milhões de euros.

 

Neste período verificou-se um ligeiro aumento do excedente externo proveniente dos serviços (4,03 mil milhões) e uma queda do défice da transacção de bens (-3,4 mil milhões). Assim, "a balança de bens e serviços apresentou um excedente de 605 milhões de euros, superior aos 376 milhões de euros registados no período homólogo. Esta evolução deveu-se à redução das importações em 1,8% (variações de -2,4% nos bens e de 0,8% nos serviços), superior ao decréscimo de 1,0% das exportações (variações de -1,8% nos bens e de 0,6% nos serviços)", explica o Banco de Portugal na nota publicada.

Contudo esta evolução positiva não foi suficiente para anular o aumento do défice do rendimento primário, que inclui juros e dividendos, bem como a queda do excedente do rendimento secundário, que além das remessas de emigrantes e imigrantes inclui as transacções financeiras entre Portugal e a União Europeia.

 

O Banco de Portugal explica que a evolução do défice primário "foi influenciada pelo diferente perfil temporal, em relação a 2015, dos dividendos pagos e recebidos de 2016."

 

Já a balança de capital também registou uma queda, ainda que o saldo seja positivo (390 milhões de euros).

 

No que respeita à balança financeira, verificou-se uma deterioração do défice, que superou os mil milhões de euros.

De realçar que os dados divulgados pelo Banco de Portugal são em valores nominais, sendo que em percentagem do PIB só nos períodos de final de trimestre.

Ainda esta quarta-feira, o Eurostat tinha divulgado os dados dos défices externos dos países da União Europeia. Os dados em causa são referentes apenas ao mês de Maio, não reportando valores acumulados. A União Europeia chegou a Maio com um excedente externo, com apenas sete países em défice entre os 28 estados-membros. Entre estes está Portugal, que fechou o mês em análise com o terceiro défice externo mais elevado.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI