Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Economia portuguesa contrai 3,2% em 2012

A economia portuguesa contraiu 3,2% no ano passado, depois de no último trimestre o produto interno bruto ter encolhido 3,8%, de acordo com o INE. A quebra foi superior à prevista. Portugal foi o segundo país com uma contracção mais pronunciada na União Europeia, só ultrapassado pela Grécia.

Negócios 14 de Fevereiro de 2013 às 10:07
  • Assine já 1€/1 mês
  • 10
  • ...

O INE revelou que a economia contraiu 3,2% no conjunto do ano, o que supera a previsão de 3% esperada pelo Governo e pela troika. O INE revela os dados pormenorizados no dia 11 de Março.

 

O instituto adianta que “o contributo positivo da procura externa líquida diminuiu significativamente no quarto trimestre, verificando-se uma diminuição menos acentuada das Importações de Bens e Serviços e uma redução das Exportações de Bens e Serviços. Em sentido oposto, a procura interna apresentou um contributo menos negativo para a variação homóloga do PIB, traduzindo sobretudo a redução menos expressiva do Investimento.”

 

No último trimestre de 2012, o PIB caiu 3,8% quando comparado com igual período do ano anterior. Já em relação ao terceiro trimestre, a quebra da economia foi de 1,8%.

 

A quebra de 3,8% foi a segunda mais pronunciada entre os estados-membros da União Europeia, só ultrapassada pela Grécia, cuja contracção foi de 6% no último trimestre, segundo o Eurostat que divulgou a estimativa rápida esta quinta-feira.

 

A economia portuguesa acentuou a queda nos últimos três meses do ano, um comportamento partilhado pela generalidade dos países europeus.

 

A previsão do Governo e da troika (BCE, CE e FMI) aponta para uma queda do PIB de 1% neste ano, e estimavam um recuo de 3% em 2012. Para 2014 o Executivo prevê um crescimento de 0,8%. Já o Banco de Portugal antecipa uma recessão mais cavada neste ano, com o PIB a recuar 1,9%, mas também uma recuperação mais forte no próximo (1,3%).

 

(Notícia actualizada às 10h25 com mais informação)

Ver comentários
Saber mais economia PIB INE
Mais lidas
Outras Notícias