Conjuntura Economia europeia respira de alívio com aceleração no arranque de 2019

Economia europeia respira de alívio com aceleração no arranque de 2019

O PIB da Zona Euro acelerou no primeiro trimestre deste ano, invertendo a tendência de travagem que marcou o segundo semestre de 2018.
Economia europeia respira de alívio com aceleração no arranque de 2019
Reuters
Tiago Varzim 30 de abril de 2019 às 10:04

A economia europeia cresceu 0,4% em cadeia durante o primeiro trimestre de 2019, segundo os dados divulgados esta terça-feira, 30 de abril, pelo Eurostat. No quarto trimestre do ano passado o PIB da Zona Euro tinha crescido 0,2% em cadeia, ou seja, face ao trimestre anterior. 


Em termos homólogos (face ao mesmo trimestre do ano passado), a evolução do PIB estabilizou nos 1,2% entre janeiro e março, o mesmo valor registado no trimestre anterior.

Este desempenho da economia europeia ficou acima do esperado. Os analistas da Reuters, por exemplo, antecipavam um crescimento em cadeia de 0,3%. Ao Financial Times, o economista da Oxford Economics, Oliver Rakau, afirma que tal reflete "a resiliência da procura interna que beneficia de um forte mercado de trabalho, uma política monetária acomodatícia e alguns estímulos orçamentais". 


No caso da União Europeia, a evolução é semelhante: a economia acelerou para um crescimento de 0,5% em cadeia e manteve o crescimento homólogo de 1,5% no primeiro trimestre. 

Em 2018, o crescimento da Zona Euro travou de forma significativa para 1,8% (2,4% em 2017), principalmente por causa da desaceleração sentida no segundo semestre do ano. 

A Comissão Europeia prevê que a economia europeia cresça 1,3% em 2019 ao passo que o Banco Central Europeu é mais pessimista com uma previsão de 1,1%. A concretizarem-se, ambos serão os crescimentos mais baixos da recuperação económica da Zona Euro iniciada em 2014.

Espanha e França ajudam
Neste momento o Eurostat ainda não disponibiliza os dados desagregados por país, mas já é possível saber como evoluíram algumas das economias dos Estados-membros. É o caso de Espanha e França, duas surpresas positivas no arranque de 2019. 

Por um lado, em Espanha, a aceleração do investimento favoreceu a expansão económica. Por outro lado, o aumento do consumo em França - em parte devido às medidas do presidente francês que aumentaram o bolso dos consumidores - deu um contributo positivo que compensou o efeito negativo das paralisações dos coletes amarelos. 

Em cadeia, a economia espanhola cresceu 0,7% e a economia francesa cresceu 0,3%. 

No entanto, é de notar que os dados avançados pelo indicador PMI da IHS Markit sinalizam que a economia europeia voltou a travar em abril, ou seja, no início do segundo trimestre. 

(Notícia atualizada às 10h30 com mais informação)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI