Conjuntura Economia portuguesa atingiu excedente externo de 2,6% do PIB (act)

Economia portuguesa atingiu excedente externo de 2,6% do PIB (act)

Portugal atingiu em 2013, pelo segundo ano consecutivo, um saldo positivo nas balanças corrente e de capital.
Economia portuguesa atingiu excedente externo de 2,6% do PIB (act)
Miguel Baltazar/Negócios
Nuno Carregueiro 20 de fevereiro de 2014 às 11:57

A economia portuguesa registou uma capacidade líquida de financiamento externo de 4,3 mil milhões de euros, o que corresponde a 2,6% do PIB, anunciou esta quinta-feira o Banco de Portugal.

 

O ano passado foi assim o seguindo consecutivo de excedente externo na economia portuguesa. Em 2012 o excedente externo atingiu 0,3% do PIB, depois de défices externos consecutivos desde 1995. As estimativas do Banco de Portugal, divulgadas em Dezembro no Boletim Económico de Inverno, apontam para que o excedente externo da economia portuguesa atinja 4,7% do PIB em 2015, acima do projectado para 2014 (3,8% do PIB).

 

Em 2008 e 2009 Portugal atingiu défices externos acima de 10% do PIB, tendo desde então este indicador apresentado uma trajectória descendente, até passar para terreno positivo em 2012.

 

No Boletim Estatístico divulgado desta quinta-feira, o Banco de Portugal adianta que os dados de 2013 para o excedente externo mostram a continuação da “tendência de melhoria que se observa desde 2009” neste indicador, que é medido pelo saldo conjunto das balanças corrente e de capital.

 

Balança comercial passa a ter saldo positivo

 

Este excedente externo, em 2013, foi obtido através de saldos positivos nas balanças de serviços (6% do PIB), transferências correntes (2,4% do PIB) e de capital (2,1% do PIB). Continuam negativos os saldos das balanças de bens (4,3% do PIB) e rendimentos (3,6% do PIB).

 

Desta forma, a contribuir para a melhoria das contas externas portugueses esteve sobretudo a diferença positiva entre as exportações e importações de serviços, já que no comércio de mercadorias Portugal continua a apresentar um saldo negativo.

 

Ainda assim, como nota o Banco de Portugal, a balança comercial (que agrupa bens e serviços) registou um excedente ao longo de quase todos os meses do ano. No total de 2013, atingiu 2,8 mil milhões de euros, ou 1,7% do PIB, “fruto do aumento das exportações de bens e serviços em 5,7%”, enquanto as importações cresceram 1,1%.

 

2013 foi assim o primeiro ano de saldo positivo na balança comercial, que tinha atingido um défice de 0,1% do PIB em 2012, 3,8% do PIB em 2011 e 7,2% do PIB em 2010.

 

 
Capacidade ou a necessidade de financiamento
A capacidade ou a necessidade de financiamento do total da economia é igual à soma das capacidades ou necessidades de financiamento dos sectores institucionais. É o montante líquido dos recursos que o total da economia coloca à disposição do resto do mundo (se for positivo) ou que recebe do resto do mundo (se for negativo). A capacidade ou a necessidade de financiamento do total da economia é igual, mas de sinal contrário, à necessidade ou à capacidade de financiamento do resto do mundo.

 

 

 

(notícia actualizada às 12h20 com mais informação) 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI