Conjuntura Governador do Banco de Espanha acredita que “o pior já ficou para trás”

Governador do Banco de Espanha acredita que “o pior já ficou para trás”

Linde reconheceu que a crise financeira não está resolvida e que, em consequência, os circuitos de crédito não estão reparados, sendo este um entrave preocupante à necessária retoma do investimento privado e produtivo
Governador do Banco de Espanha acredita que “o pior já ficou para trás”
Negócios 20 de junho de 2013 às 16:37

O governador do Banco de Espanha, Luis Linde, afirmou esta quinta-feira que "a pior fase da segunda recessão já ficou para trás” e antecipou que a economia espanhola voltará a exibir taxas positivas de crescimento no próximo trimestre.

 

"Os últimos dados apontam para uma moderação no ritmo de contracção do PIB”, disse, sublinhando, porém, que não é possível “desconsiderar” a solvência das contas públicas.

 

Linde reconheceu ainda que a crise financeira não está resolvida e que, em consequência, os circuitos de crédito não estão reparados, sendo este um entrave preocupante à necessária retoma do investimento privado e produtivo. "O crédito não pode ser concedido por directivas administrativas que ignoram a realidade económica”, advertiu, na apresentação do relatório anual do Banco de Espanha no Parlamento.

 

Para financiar as PME, disse que estão a ser consideradas outras alternativas. "O Banco Europeu de Investimento tem a capacidade de estimular o crédito através do aumento do financiamento aos bancos públicos europeus que operam neste domínio". Linde falou ainda dos novos sistemas de partilha de risco financiados por fundos estruturais  que estão a ser debatidos, tendo-se ainda referido à possibilidade de a União Europeia viabilizar regimes específicos para impulsionar o crédito à exportação.




Marketing Automation certified by E-GOI