Conjuntura Importações crescem o triplo das exportações no primeiro semestre

Importações crescem o triplo das exportações no primeiro semestre

O défice da balança comercial voltou a agravar-se na primeira metade do ano, já que as compras ao exterior estão a crescer a um ritmo bem superior às vendas. Em junho as exportações e as importações baixaram.
Nuno Carregueiro 09 de agosto de 2019 às 11:06

As exportações de bens em Portugal aumentaram 2,9% no primeiro semestre, o que representa um ritmo bem inferior ao aumento verificado nas importações de mercadorias (9,3%), anunciou o Instituto Nacional de Estatística.
 

Estas variações representam uma desaceleração das exportações e uma aceleração das importações face à variação registada no segundo semestre de 2018, período em que as vendas ao exterior (3,7%) já tinham crescido a um ritmo inferior ao das importações (+7,5%).

Este desequilíbrio acentuou-se na primeira metade do ano com o crescimento das importações a triplicar o aumento das exportações, o que atirou o défice da balança comercial para valores superiores a 10 mil milhões de euros. No primeiro semestre do ano passado e no mesmo período de 2017 o défice da balança comercial de bens era inferior a 8 mil milhões de euros.

Excluindo combustíveis e lubrificantes, a variação dos dois indicadores ficou mais aproximada, pois as exportações aumentaram 4,5% e as importações subiram 9,9%. Sem estes produtos, o défice da balança comercial ficou próximo dos 8 mil milhões de euros no primeiro semestre.

No que diz respeito às variações do mês de junho, são menos relevantes pois, como diz o INE, reflete "o menor número de dias úteis do mês em análise". Junho deste ano teve menos três dias úteis do que em junho de 2018. No último mês do primeiro semestre as exportações desceram 8,3% e as importações caíram 4,1%. Em maio exportações tinham aumentado 8,5% e as importações subido 14,3%.

No que diz respeito às categorias de produtos, as importações de combustíveis e lubrificantes desceram 24,8%, enquanto as exportações afundaram 34,3%. As importações de material de transporte (maioritariamente aviões) dispararam 32,4%.

Quanto aos principais parceiros comerciais, de destacar a descida de 9,2% nas exportações para Espanha e de mais de 10% para Reino Unido e Estados Unidos. Do lado das compras, destaque para a queda de 7,3% das importações de bens da Alemanha e de quase 30% dos Estados Unidos.

O défice da balança comercial de bens atingiu 1.833 milhões de euros em junho de 2019, mais 150 milhões de euros face ao mês homólogo de 2018.

No segundo trimestre de 2019 as exportações aumentaram 1% e as importações subiram 6,8%.

(Notícia atualizada pela última vez às 11:45)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI