Conjuntura ISEG vê economia portuguesa a crescer 2% no terceiro trimestre

ISEG vê economia portuguesa a crescer 2% no terceiro trimestre

Os economistas do ISEG antecipam que o PIB cresça 2% em termos homólogos no terceiro trimestre, o que corresponde a uma manutenção do ritmo de crescimento do primeiro semestre.
ISEG vê economia portuguesa a crescer 2% no terceiro trimestre
Tiago Varzim 24 de outubro de 2019 às 12:50
A economia portuguesa deverá crescer 2% em termos homólogos no terceiro trimestre deste ano, acelerando ligeiramente face aos 1,9% registados no segundo trimestre. A estimativa é feita pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) na Síntese de Conjuntura de outubro divulgada esta quinta-feira, 24 de outubro. 

No entanto, da comparação do crescimento em cadeia (de um trimestre para o seguinte) tira-se outra conclusão: o PIB vai desacelerar de um crescimento em cadeia de 0,6% no segundo trimestre para 0,4% no terceiro trimestre. Este indicador tende a representar melhor o andamento presente de uma economia.

"Com os dados quantitativos disponíveis relativos ao 3º trimestre, essencialmente de julho e agosto, estima-se que o crescimento homólogo do PIB no 3º trimestre tenha sido de 2,0% (0,4% em relação ao trimestre anterior), o que corresponde a uma ligeira aceleração do crescimento homólogo e a uma redução do crescimento em cadeia face ao registado no trimestre anterior", lê-se na síntese. Esta previsão fica ligeiramente abaixo dos 2,1% e 0,5%, em termos homólogos e em cadeia, previstos pelos economistas da Católica para o terceiro trimestre.

Os economistas do ISEG escrevem que os dados parciais já disponíveis para o período entre julho e setembro sugerem que o consumo privado e o investimento (FBCF, formação bruta de capital fixo) "não terá crescido mais do que no trimestre anterior". O destaque no investimento vai para o crescimento maior da construção ao passo que os outros setores "devem ter crescido menos". Assim, a procura interna deverá ter mantido o ritmo de crescimento, havendo a possibilidade de "ter sido inferior".

Já quanto à procura externa líquida, os dados sugerem que o contributo para o PIB "poderá ter sido menos negativo" do que no segundo trimestre. Tal acontece porque o crescimento do défice comercial de bens abrandou em julho e agosto deste ano. "Se o mesmo for confirmado pelos dados de setembro, o crescimento do PIB poderá beneficiar com a evolução menos negativa desta componente", antecipa o ISEG.

O crescimento de 2% no terceiro trimestre mantém o ritmo de crescimento assistido no primeiro semestre de 2% (2,1% no primeiro trimestre e 1,9% no segundo). "Para a totalidade do ano de 2019 – previsão a rever no próximo mês - os valores da banda superior do intervalo 1,8% a 2,0% são agora mais prováveis", antecipam os economistas do ISEG. No final de setembro, a previsão tinha sido revisto em alta

A previsão do Governo é que a economia cresça 1,9% no conjunto do ano, em linha com as previsões do Conselho das Finanças Públicas (CFP) e do Fundo Monetário Internacional (FMI). O Banco de Portugal prevê que a economia portuguesa avance mais (2%) ao passo que a OCDE e a Comissão Europeia estão mais pessimistas: 1,8% e 1,7%, respetivamente.

A estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE) para o PIB do terceiro trimestre será publicada a 14 de novembro e a segunda previsão a 29 de novembro.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI